<$BlogRSDUrl$>

sexta-feira, agosto 29, 2003


UMA FRASE 

I WAS BORN WHEN SHE KISSED ME, I DIED WHEN SHE LEFTED ME AND I LIVED A FEW WEEKS WHILE SHE LOVED ME"
Humphrey Bogart "In a Lonely Place"
MLP

Love My Way 

There's an army on the dance floor
It's a fashion with a gun my love
In a room without a door
A kiss is not enough in

Love my way, It's a new road
I follow where my mind goes

They'd put us on a railroad
They'd dearly make us pay
For laughing in their faces
And making it our way
There's emptiness behind their eyes
There's dust in all their hearts
They just want to steal us all
And take us all apart
But not in

Love my way, it's a new road
I follow where my mind goes

Love my way, it's a new road
I follow where my mind goes

Love my way, it's a new road
I follow where my mind goes

So swallow all your tears my love
And put on your new face
You can never win or lose
If you don't run the race

Psycadelhic Furs.

Os "Furs" sao um dos grupos mais marcantes da new wave, o regresso da musica pop/rock aos grandes temas depois dos complicados anos do domínio punk. Love My Way, terceiro grande exito do grupo, logo a seguir aos míticos Sister Europe e India, é um tema forte e importante para percebermos toda a dinâmica musical que se seguiu a 1980. As últimas frases, "You can never win or lose If you don't run the race" transparecem bem a vontade da nova geração de 80 em mostrar o seu valor num mundo ainda marcado pela Guerra Fria, pelo aparecimento da SIDA surgindo como resposta à decadência que a musica tinha vindo a conhecer no período de 75/80.

MLP

quinta-feira, agosto 28, 2003

O FIM DE UMA ERA 

Soube neste fim de semana que uma era tinha terminado. Fiquei triste. Nao surpreso, porque sabia que acabaria por acontecer, mas triste. Triste porque é toda uma filosofia de vida que desaparece. É toda uma tradição, uma forma de sentir o futebol que desaparece.
Como amante do "desporto-rei" que sou, tenho o hábito de torcer por uma equipa em cada um dos vários potentados do futebol mundial. É algo recorrente em muitos amantes da bola. Espanha era uma excepção. Nao tinha 1 mas sim 2 clubes que adorava. Ambos pela mesma situação. Cada um representava uma região. Um estilo de vida. Uma forma de ver o futebol. Eram eles o Athletic Bilbao e o Barcelona FC.
O Bilbao é a bandeira do Pais Basco. É na "catedral" de San Mamés que se prestam algumas das maiores homenagens a esse povo esmagado pela tirânia despótica de Madrid. Foi no San Mamés que se abrigaram muitos dos revoltosos republicanos durante a guerra civil. E o Bilbao é o Pais Basco feito clube de futebol. É um clube que se recusou a mudar-se, do estádio sagrado para um novo moderno complexo desportivo, por sentir que era um ataque á tradiçao. É o unico clube campeao nacional por 2 países diferentes. Além dos 13 titulos espanhois tem ainda 2 títulos de campeao do México. Sim, do México, pois durante a Guerra Civil era lá onde o clube jogava..e ganhava. É verdade que o último titulo do Bilbao remonta a 1984, e que desde aí tem sido sempre a descer. É verdade que o único clube do mundo que só aceita jogadores da nacionalidade do clube (estrangeiros têm as portas fechadas) tem vindo a perder a importancia num mundo do futebol em que há mais estrangeiros que nacionais nos clubes. Mas a ponto de acabar com a tradiçao das imaculadascamisolas sagradas e sujá-las com publicidade, isso nunca pensei. Quando os jogadores entrarem sabado com as camisolas manchadas, será um mito de infância que desaparecerá.
Curiosamente o rival do Bilbao no próximo Sábado, dia em que começa a Liga Espanhola, é o Barcelona. Barcelona que amo. Barcelona que desde a pequeno aprendi a adorar. Muito por culpa do Dream Team, a máquina de jogar bom futebol que o mago Johan Cruyff criou em 1988. A minha primeira grande birra foi pelo facto do meu pai em vez de me ter comprado a camisola do Romário ter-me trazido a do Klinsmann que jogava no Inter. A partir daí odiei o Inter. Com o afastamento de Cruyff e a chegada de Ronaldo e Figo, afastei-me do Barça. Senti, como muitos blaugrana que o Barça passara a ser um circo, muito semelhante ao que é o Real de hoje. Foi com o regresso aos tristes dias de derrotas (5 anos sem nada ganhar) que me consegui voltar a sentir tocado pela magia que emana do Camp Nou, o maior estádio da Europa, onde quinzenalmente 120 mil catalães gritam bem alto o nome deste grande clube. O Barcelona, como a cidade e como a Catalunha, está para Madrid e para a Espanha, como o Porto está para Lisboa. Mas em niveis muito mais elevados. Durante a Guerra Civil (sempre esta famigerada guerra) foi Barcelona a capital do republicanismo enquanto que Madrid se rendia ao Generalissimo Franco. E Franco fez o Barça pagar caro. Durante anos o clube e a Catalunha foram perseguidos. Com a Democracia renasceu o clube. Johan Cruyff disse uma vez, quando em 1975 deu o 1º titulo em 20 anos ao Barcelona que na rua as pessoas em vez de lhe darem os parabéns, como faziam em Amesterdão, simplesmente o abraçavam e diziam "obrigado". Neste sabado também é esta forma de estar na vida, esta forma de olhar o futebol, nao apenas como diversao mas como parte da cultura de um povo, que desaparece. Quando Ricardo Quaresma, Ronaldinho, Saviola, Xavi e Luis Enrique entrarem em campo daqui a uma semana no Camp Nou frente ao Ossassuna, o sonho terá terminado. E o ultimo bastião do "futebol puro" terá sucumbido ao poder do dinheiro..

Com o coraçao pesado
MLP

segunda-feira, agosto 25, 2003

Tatuagem 

Quero ficar no teu corpo feito tatuagem
Que é pra te dar coragem
Pra seguir viagem
Quando a noite vem
E também pra me perpetuar em tua escrava
Que você pega, esfrega, nega
Mas não lava

Quero brincar no teu corpo feito bailarina
Que logo se alucina
Salta e te ilumina
Quando a noite vem
E nos músculos exaustos do teu braço
Repousar frouxa, murcha, farta
Morta de cansaço

Quero pesar feito cruz nas tuas coisas
Que te retalha em postas
Mas no fundo gostas
Quando a noite vem
Quer ser a cicatriz risonha e corrosiva
Marcada a frio, a ferro e fogo
Em carne viva

Corações de mãe
Arpões, sereias e serpentes
Que te rabiscam o corpo todo
Mas não sentes

Chico Buarque

Este é um dos temas mais marcantes da música popular brasileira. Aqui fica...

PROBLEMAS COM O POR DO SOL 

Tenho recebido queixas e tenho eu próprio constatado que o Por do Sol anda com problemas. Isso deve-se á instalaçao do novo contador do Por do Sol que a partir de hoje vai mostrar quem realmente vem cá dar umas curvas. Ora este novo contador tem feito com que nao se consiga por vezes descer a página para ver os post anteriores. É uma chatice eu sei. Para tal tenho 3 soluçoes. Carregar em actualizar, ou entao voltando a escrever o link. Se nao der, proponho que carreguem num dos hiperlinks á direita, como o Fotolog ou outro blog e depois voltem para trás. Tenho experimentado esse com sucesso.
Até lá vou tentar resolver o problema.
Obrigado e desculpem pela seca
MLP

O MEU PRIMEIRO POEMA 

Nunca foi um homem de poesia. Nao tenho jeito nenhum como este poema prova. Nao tem titulo, foi escrito ás 4h36 da manha da última quinta feira, quando acordei com vontade de escrever, e foi feito antes do dia 21, que como sabem, foi uma mudança radical na vida deste blogueiro. Aqui fica para quem tem paciencia para as minhas loucuras:

Eu nunca serei, nem sou
alguém!
Aliás, duvido mesmo que algum dia seja
alguém!
Isto porque, para se vir a ser,
para se ter sido ou mesmo para ser-se
alguém, é preciso que se venha a viver,
que se tivesse vivido.
Enfim, é preciso viver!
Ora eu com a vida nao quero nada!
Quando a vida me liga para o telemóvel
eu simplesmente rejeito a chamada.
Quando ela me bate à porta,
eu faço que nao estou.
Quando me escreve,
eu passo por analfabeto.
Quando me surge à janela,
eu finjo que durmo profundamente.

Para se viver é preciso muito.
É preciso abrir a janela, afastar as cortinas
e respirar.
É preciso sentir, experimentar, conhecer.
Eu tenho lá tempo para isso!
Estou ocupado.
Ocupado demais para querer conhecer a miuda que sobe comigo no elevador.
Ocupado demais para experimentar o novo sabor daquele gelado.
Ocupado demais para ver o último filme do Spielberg.

Tudo o que preciso está dentro das quatro paredes que me cercam.
Tudo o que preciso de ver está no armário dos filmes.
Tudo o que preciso de saber encontra-se nas prateleiras dos livros.
Tudo o que preciso de sentir está no som que sai das colunas da aparelhagem.

A minha vida é esta.
Nao preciso de nada do que deixei!
E se alguém um dia me perguntar quem sou eu,
só posso responder o que digo a mim mesmo:
"Ninguém!"

MLP

De 0 a 10: 1. mas espero melhorar com o tempo. Afinal é só o primeiro.

A TASCA 

Já elogiamos os Discursos Paralelos. Se bem que têm andado fora de actividade, esperemos que o seu regresso esteja para breve. Já tamos fartos de falar nas Ninfas do Baú, nas adoraveis ninfas com as quais tanto gostamos de debater. Já prestamos a devida homenagem ao Duarte Sousa Dias e ao seu Ideias-Pensamento, o blog gemeo deste. Mas faltava um.
Se tens menos de 18 anos e nao és adepto do insulto e do ataque indiscriminado entao a Tasca nao é para ti. Agora se nao gostares de Portugal, do Paulo Portas, do Pacheco Pereira, da Direita e de tudo e mais alguma coisa entao a Tasca do Zinde é o sitio certo a ir. Cheio de textos irreverentes e pujantes, assinados pelo barman residente, Zinde, e pelo Pedro Neves, o nosso especialista na cultura militar dos nossos dias, a Tasca do Zinde é um excelente local para se passar um bom bocado. Isso se se for atrás de umas boas risadas. Por isso aqui fica a homenagem sentida e já comunicada aliás ao próprio Zinde. A Tasca do Zinde. Um blogue diferente.



MLP

domingo, agosto 24, 2003

UMA FRASE 

"PENSO EM INGLES, SINTO EM FRANCES MAS VIVO EM PORTUGUES"
Miguel Pereira Lourenço


MLP

sábado, agosto 23, 2003

"NOTHING IS WRITTEN" - OU O PORQUE DE UMA GRANDE CHORADEIRA 

Sempre acreditei que poderia ser feliz. Que a minha hora chegaria. Que poderia viver com um sorriso nos lábios como qualquer um de vós.
A felicidade é algo que nunca provei. Todos dizem bem, por isso deve ter um sabor agradável. Como sou curioso anseio por prová-la. Infelizmente nao vou poder.
Uma das frases mais miticas e mágicas da história do cinema foi proferida por Peter O´Toole, no Lawrence D´Arabia, de 1962 e é assim "Nothing is written (nada está escrito)". É uma frase forte, mas falsa. Está escrito que nunca serei feliz como quero ser. Em qualquer sitio, quer seja na agenda de Deus ou no caderno de apontamentos do Diabo. O que importante é que está...
Como nunca fui feliz como os outros tentei transferir o sentido de felicidade para outras coisas. Tentei que o que eu sei fosse felicidade. Assim durante anos para mim ser feliz era saber os 10 1ºs classificados do GP do Monaco de 73, os reis da 3º dinastia da Polónia, os singles que estiveram no 1º lugar do top de 70, os vencedores dos oscares e outras merdas que tais. Fait-divers como se diz lá para os meus lados de JCC. Lá fora o mundo girava num sentido. Cá dentro girava noutro. Os sucessivos insucessos nas várias incursões pelo mundo real acentuaram ainda mais essa tendencia separatista. "Serei feliz á minha maneira" dizia eu. Mas sinceramente, nao acreditava no que dizia. Bem cá dentro sentia a falta da felicidade que os outros tinham. Nao tenho medo nem vergonha de o admitir. Cobarde é aquele que nao admite o que sente.
Tenho recebido mails e comentários sobre o facto de eu abrir os mais intimos e profundos sentimentos a todos, neste espaço de discussão publica. Eu respondo: Nao tenho nada a esconder de ninguem. Sou um livro aberto, um livro com páginas rasgadas. Nao me incomoda que meio mundo saiba de quem eu gosto, nem do que gosto, ou nao gosto. Nao me incomoda que saibam que roupa uso ao dormir. Nao tenho segredos. Todos os segredos para mim intimos ficam cá dentro e nunca ninguem os saberá. Os outros estao á disposiçao de todos. É assim que me sinto bem. É assim que vou continuar.
Continuando, dizia que sentia a falta do que os outros sentiam. E é verdade, muito verdade, desde miudo. Sentia a falta de uma companheira, sentia a falta de ter muitos amigos, sentia a falta das emoçoes fortes, sentia a falta de um carinho, de um toque, de um beijo, de um "eu amo-te", de um "nao consigo viver sem ti", de um "és parte de mim". Nunca tive a sorte de ter algo disto. Se tivesse tido, provavelmente nao seria o arrogante frustrado e triste que sou hoje..provavelmente.
Este ano, por ser um ano novo e diferente, o inicio de um novo mundo (universidade olé) pensei que tudo ia mudar. E mudou em algumas coisas. Percebi que os outros nao me viam com bons olhos. Que a minha tendencia para centralizar tudo á minha volta era mal vista, nao aceite, gozada e que prejudicava o meu relaccionamento com os outros. Senti-me mal com isso. Pudera, pela primeira vez entrei em contacto com o mundo a sério. Mesmo aqueles de quem eu gostava sinceramente e até admirava, e quem me conhece sabe que isso é raro, me viam com reservas. Foi duro!!
Mas também ganhei algumas coisas. Ganhei muitos amigos. Hoje tenho-os muitos graças a Deus. Isso sabe bem. Quando estou desorientado é a eles que recorro. E mais, passei a ver as pessoas com outros olhos. Passei a ajudar mais, algo que nao fazia muito, e que sabe muito bem. Mas tambem voltei a um ponto da minha vida onde meti água. Again..
Como todos dizem, ninguem pode obrigar ninguem a nada. É justo, mesmo justo! Nunca quis forçar ninguem, em nada. Acreditem em mim! Ainda mais quando esse alguem é feliz. Isso até seria crime como pude perceber. Mas por outro lado olhei á minha volta e pensei. E eu? Nao tenho eu o direito de ser feliz? E ser feliz nao é ser feliz como nós queremos? Nao é puder sentir o que mais desejamos sentir? Nao é? É, definitivamente é. Mas quando isso entra em confronto com outra felicidade nao há nada que possamos fazer. Nada, absolutamente nada. Nao sabia isso, nunca me tinha sequer passado pela cabeça. Paguei um preço demasiado caro para o descobrir. Mas a descoberta está feita. E que posso fazer? Nada, absolutamente nada. Simplesmente calar e comer. Ou melhor, calar e nao comer, como diria um amigo meu.
Por isso é que digo que tem de estar escrito que nunca serei feliz. Quando alguem conhece alguem e sabe que esse alguem é o verdadeiro alguem que muitos procuram durante toda uma vida e nao encontram, e quando esse alguem pertence a outra dimensao, entao é porque a felicidade nunca baterá a esta porta. Já me tentaram convencer de que c´est la vie e tudo o mais, mais eu nao compro isso. Já me tentaram convencer de muita coisa. Os meus amigos, os meus verdadeiros e grandes amigos (os meus pais, os meus irmaos, o vitor, a kuki, a mariane todos os outros de quem falei nisto(nao falei com a ana mas aposto que a resposta é a mesma) tentaram mostrar-me, provar-me que "há mais peixe no mar", que o mundo "nao é só uma mulher", que "ainda és jovem" entre outras coisas que tais. Mas deixem-me que vos diga. Dá jeito saber historia nestas coisas. 95% das vezes o que eles me dizem é verdade. Passa. Mas há aqueles 5%. Aqueles homens/mulheres que ficaram marcados por um amor. Um amor tao puro, belo e forte que resistiu á dor do tempo e do espaço. Houve grandes nomes nesses 5%. E como tenho a mania de ser diferente, tambem tenho a certeza que estou nesse grupo. Tao a ver como isto anda mau.
Mas nao é pelo que dizem que vou mudar. Mesmo que quisesse nao conseguia. Resta-me sentar e assistir ao espectaculo. E como acontece quando estou nas Antas, vou ter de ver o jogo do meu lugar, quando o que eu sempre quis foi estar no relvado. E como aí vou sofrer até ao fim. E como aí as vitórias do clube vao ser as minhas vitórias, e as derrotas as minhas derrotas. E como aí sofrerei por quem amo. Nao me resta mais nada...
Senao chorar que é o normalmente faço.....Nao tem nada de mal. Simplesmente por cada lágrima que me cai na face, é um minuto da vida que eu perco, é uma gota de sangue que se evapora nas minhas veias. É um bocado de mim que morre, lentamente...e quiçá, injustamente.
Fiquem todos bem

MLP

ABDICAÇÃO 

O que é mais importante para cada um de nós? Eis uma pergunta que se põem poucas vezes neste blog, mas que é de grande importância. Quem será. Será que vivemos para os outros, em exclusivo, ou somos nós o centro da nossa vida? Sabendo isto, sabemos quem somos e para onde vamos. É a porta que nos impede de entrar no nosso mundo privado. Quando aberta, no entanto, desvenda todos os segredos que temos.
Nao tenho orgulho nenhum em afirmar que até á bem pouco tempo, o mais importante para mim, era de facto eu. Eu era o centro, nao so do meu mundo, mas do mundo de todos, a meu ver. Verdadeiramente pretencioso é certo, mas é assim que eu pensava. Isso deu-me uma péssima imagem de que nunca me irei livrar. O convencido e arrogante e despótico e tiranico Miguel. That was me indeed.
Mas, por uma vez na vida, quero que a imagem se lixe. Tou farto de pensar no que os outros tao a pensar de mim. Se é bom, se é mau. Que se lixe. Hoje passei por um dos piores bocados da minha vida. Chorei mais do que devia. Tenho até medo de esgotar as reservas de lágrimas. E aquele arrogante que se gabava de que nunca confessava nada a ninguem, que nao precisava de ninguem com quem desabafar, hoje sentiu a falta de alguem. Sentiu a falta dos amigos, que longe e de férias nao me podiam ajudar. Sentiu a falta dos pais que estao longe. Sentiu a falta da melhor amiga, com quem também nao podia falar. Nao interessa muito isto. Apenas serve para mostrar que afinal sou humano. Descobri isso agora, quando todos já o sabiam á muito.
E descobri hoje que deixei de ser o centro da minha vida. Simplesmente deixei de o ser. Isso tem um pouco a ver com o que falei no post anterior, do facto de me ter transformado num George Bailey. A caracteristica numero um de se ser um George Bailey (e por favor, se gostam de vir ao Por do Sol, aluguem o filme senao nao vao perceber o que vos quero dizer, e eu só vos quero dizer desta forma) é pensar sempre nos outros primeiro. Comigo aconteceu assim hoje. Para quem nunca experimentou, colocar os outros primeiro que nós, nao em superficialidades, mas nas coisas centrais da nossa vida, fique a saber que custa. Custa muito. Daí as lágrimas.
Hoje abdiquei de algo que nunca pensei que viria a abdicar. Abdiquei do direito que assiste a todo o homem. O direito de amar. O direito de ser feliz. Descobri que isso entrava em conflito com outra coisa. Com aquilo que era mais importante para mim a partir de agora. A felicidade de outra pessoa. Descobri que se o que eu dizia e sentia era verdade entao tinha de o fazer. Custou-me mais do que seria possivel imaginar. Ainda me custa, e vai-me custar mais nos próximos dias, quando o impacto da decisao tiver passado mas as marcas tiverem ficado. Mas eu nao podia fazer outra coisa. Mesmo sabendo que isso vai-me custar a vida, no sentido mais restrito do termo. Mesmo sabendo que agindo assim vou abdicar de tudo o que eu queria para o novo ano. Tudo aquilo que sempre quis e que todos têm e adoram ter. Mesmo sabendo que vou ter de comprar novos stocks de lágrimas, porque tenho a certeza que vao ser usados. Se nao o fizesse, estaria a ser o oposto do que dizia ser. E por isso ficou assim. Nunca poderei ser feliz. Mas se eu nao posso alguem poderá por mim. E essa alguem vai se-lo, tenho a certeza. Vai se-lo porque o merece, mais do que qualquer um de nós. Vai se-lo porque já é, porque já vai a caminho de o ser ainda mais. E por isso, quando me sinto mal pelo que fiz, tento pensar nessa miuda a sorrir. Sinto-me um bocado melhor entao! Mas nao o suficiente para parar de sofrer...
MLP

ADEUS 

A vida tem destas coisas (como se eu soubesse alguma coisa da vida). Um momento, um acaso, uma circunstância, um encontro, uma frase...Tudo isto pode, momentaneamente mudar uma vida. E olhem que mudar uma vida não é nada fácil. São anos e anos de hábito e rotina. São maneiras de ser já bem vincadas dentro de nós. É um mundo á nossa volta. Mas tudo isso é efemero. Tudo isso pode desaparecer....uma só frase...
O MLP (interpretações várias ás iniciais aceitam-se) que acordou hoje, não é o MLP que adormeceu ontem (a custo). O MLP de hoje cortou com as amarras do passado. Soltou o MLP de ontem e deixou-o voar para além do infinito, que como é sabido, nao tem fim. O MLP de hoje viu um velho sonho concretizado. Tudo por causa de uma frase. É notável. Há frases que ficam na história tal é a sua importância. Se tivesse com cabeça até vos dizia meia dúzia mas tou a chorar e nao tenho paciencia. Este nao é o caso, pois esta frase é quase um lugar-comum. Mas no entanto teve o condão de iniciar um processo em cadeia que culminou nisto. Um novo MLP. Não melhor, talvez pior, mas certamente diferente.
Este MLP sempre quis ser algo. Alguém. Especialmente depois de, com 12 anos e meio, ter visto, revisto, adorado e venerado o filme já tantas vezes aqui mencionado, "It´s a Wonderful Life"(Do céu caíu uma estrela - foto no fotolog). Este MLP sempre quis ser George Bailey. Sempre, sempre, sempre. Julgou, imaginem o pobre coitado, que ser o George Bailey era o sinónimo de se ser feliz. E não havia nada mais que ele quisesse ser, do que feliz. Como somos ingénuos e inocentes quando jovens. Hoje, tem já o MLP 19 anos, 2 meses e 16 dias, George Bailey já não é o sinónimo de felicidade. Muito pelo contrário. Tornou-se quase no oposto. Tornou-se algo parecido com dor, sofrimento, angustia, dedicação e acima de tudo, espirito de sacrificio. Foram precisos anos e anos para o MLP perceber isso. E agora, que uma simples frase transformou-o em George Bailey. Isto quando se calhar ele já nem o quer ser, pelo menos se for um rapaz honesto como penso que é. Tudo mudou. Foi uma vida que ficou marcada por um momento. Amargo.
Todos sabemos que o MLP não é flor que se cheire. Todos, mesmo os seus amigos, os verdadeiros amigos, sabem que o MLP é um diluvio de defeitos, enfeitado com meia duzia de simpáticas qualidades. Todos conhecem a sua horrivel propensão para o egoismo, para a inveja, para o odio, para a canalhice, para a arrogancia, para o auto-elogio....Claro que ele também é um "querido" como demasiadamente repetem como se fosse verdade.
Ora esse MLP sempre foi assim. Sempre, desde miudo. Pude constatar ao ver cassetes dele quando jovem. Era igualzinho. Vivia para ele e só para ele. Os meus amigos de já de á uma decada podem confirmar. Nao é Vitos? Nao é Kuki? Nao é Hugo? Nao é Ana? É, claro que é.
Ele queria, lutava até ao fim para o ter. Mesmo quando sabia que a luta nao tinha sentido. Mesmo quando sabia que nao ganhava. Lutava,lutava e continuava a lutar. Nao é ao acaso que o seu simbolo é uma espada. Tá lá tudo! Ora este MLP sempre teve propensao para a arrogancia. Custou-lhe muito na vida. Custou-lhe amigos. Custou-lhe inimigos. Custou-lhe amores. Custou-lhe a adolescência. Perdas menores na busca incessante pela glória suprema, lá terá ele pensado. Houve momentos que marcaram esse MLP. Momentos sempre infelizes pois a história da vida dele é marcada por infelicidades no passado, no presente e no futuro. Feliz, verdadeiramente feliz, tenho a certeza absoluta que nunca o foi (talvez se tirarmos os 7 que o Benfica levou em Vigo. digo isto para tentar para de fazer as lágrimas verter mas nao funciona. continuemos...). E não fosse MLP uma imagem moderna de um pretenso cavaleiro andante, as causadoras dessa infelicidade acabaram por ser mulheres. Duas, foram mais marcantes que quaisquer outras. Por essas duas MLP respirou. Adormeceu e acordou. Viveu e ressuscitou depois de tantas vezes por elas ter morrido.
Isto está a ficar muito poético. No fundo tamos a falar de um tipo que durante toda a sua vida foi uma má pessoa. E esses nao merecem um discurso poético. Merecem uma corrente de ferro no fundo do Inferno.
MLP foi assim. MLP já nao quer ser mais assim. MLP deixará de ser assim. MLP nao quer ser mais egoista. MLP nao quer mais passar por cima dos outros. MLP tá farto de ser um canalha. MLP quer tentar recomeçar tudo do inicio. MLP descobriu tudo isso numa só frase. A corda que o prendia ao passado rompeu-se. MLP voa já pelo infinito. A corda, caiu prostrada no chão. O seu trabalho esta feito. MLP partiu. Partiu para um outro mundo. Para uma outra realidade. Para uma outra vida. Melhor? Perguntem-lhe a ele. Mas despachem-se porque ele já voa, lá bem longe, rumo ao infinito.

MLP

terça-feira, agosto 19, 2003

ola miguelito!! td bem ctg?? aki vai mais uma...:-) 

I have often walked down this street before;
But the pavement always stayed beneath my feet before.
All at once am I
Several stories high.
Knowing I’m on the street where you live.
Are there lilac trees in the heart of town?
Can you hear a lark in any other part of town?
Does enchantment pour
Out of ev’ry door?
No, it’s just on the street where you live!
And oh! The towering feeling
Just to know somehow you are near.
The overpowering feeling
That any second you may suddenly appear!
People stop and stare. They don’t bother me.
For there’s no where else on earth that I would rather be.
Let the time go by,
I won’t care if I
Can be here on the street where you live.



é do my fair lady, q é um musical q eu simplesmente adoro, e xama-se on the street where you live.. ja viram musica mais fofa q esta??? é tao meiguinha... linda mm!! ja n se faz disto..

beijo

kuki **


AGRADÁVEIS SURPRESAS - NO OUTRO QUARTO DE BANHO... 

Depois de ter dito o que podia sobre sete grandes amigos (nao o suficiente para homenagea-los decentemente), tá na hora de falar de algumas meninas que deram cor ao meu 1º ano de universitário. Num curso maioritariamente feminino, elas destacam-se é claro. Algumas mais que outros. Fiquemos por essas.
Marian - A doçura em pessoa. Nao se pode dizer mais nada. Partilhamos muita coisa, a começar pela mesma rua. Partilhamos desilusoes, alegrias, momentos, viagens no 82 ou no 84, sessoes de cinema para desencantados, enfim..tanta coisa. É ela que muitas vezes me chama da lua, onde normalmente passeio. É ela que tenta controlar este ego desenfreado. É ela que tenta acordar-me para as outras realidades da vida. É ela que houve muitos dos meus desabafos. É ela quem critica, aconselha, ajuda. É ela que sorri quando quero chorar e que me faz dar vontade de partir coisas quando é ela que quer chorar. É uma amiga perfeita. Tem as suas manias, os seus gostos (viciou-me nos linkin) como todos. Mas é a grande amiga que fiz nos últimos tempos. É aquela parceira com que sei que posso contar. E haverá algo melhor que isso?
Joana - A Joana tem uma coisa que nao me deixa indiferente. Nunca conheci em toda a minha vida uma mulher tao senhora de si, tao mandona, tao dura, mas ao mesmo tempo tao simpática e amiga. Sao sabidas as discussoe amigaveis que temos. Os resmunganços coroados com o celebre "puta deita-te". Os insultos ao Capucho, as provocaçoes, enfim..muita coisa. Mas a Joana é daquelas amigas que todos precisam de ter pois chama-nos á razao quando é altura. Aprendi muito sobre a vida com ela e apesar de achar que ela nao me tem em grande consideraçao, por eu ser aquele imbecil arrogante que sou, eu tenho-a bem cotada.
Meninas da Turma 4 - Nao vou individualizar até porque sao muitas. Desde a Evita á Raquel, da Paula á Yunassi. Todas elas preenchem o meu dia a dia. Quando eu tou de mau humor sao elas que levam por tabela. Mas sao elas que também tao lá. A Paula é aquela amiga, sempre a querer levar-me para a "má vida" para ver se desperto de um longo sono. A Evita é fofinha até dizer chega. A nossa alentejana favorita, a nossa baixinha. É quase como que a coqueluche da turma 4. A Yunassi é aquela irreverencia. Nao sei se é por ser africana e trazer aquele calor, mas ela tem algo que nos impossibilita de ficarmos indiferente. Tem um habito horrivel de nos mandar calar nas aulas mas para além disso é muito porreira. Finalmente a Raquel. É a nossa Lara Croft. Aposto mesmo que nao há um rapaz em Jornalismo que ainda nao tenha sonhado com ela. Mas felizmente ela nao é só uma "brasa". É inteligente, ambiciosa, simpática e amiga. É muito nocturna para o meu gosto e tem os seus momentos menos maus. Mas é acima de tudo uma boa companheira que ainda por cima tem de me aturar quase a dobrar.
As Ninfas - No Por do Sol aparece um hiperlink a dizer "As parceiras da polémica". Sao mesmo isso as nossas ninfas. Com elas há sempre algo sobre que falar. Há sempre conversa, discussoes, troca de ideias, de sentimentos de tudo. As ninfas sao essenciais para quem vive JCC como eu vivo. E sao muitas, e diferentes. Vou só falar das mais intimas, sem ter algo contra qualquer outra é claro. A Carolina é a consciencia do curso. Tá sempre atenta, é sempre aplicada. É uma confidente a sério e pelo que vejo uma grande amiga. Tem qualidades que todos os amigos deviam ter. Está lá sempre quando é preciso. Faz muita coisa que muitos se recusariam. Mas fá-lo porque é uma grande pessoa. Ainda bem que te faltou aquela décima para Psicologia. Nao seria a mesma coisa sem ti. Quem pensa que sou teu amigo por tu seres a melhor amiga da Paula é parvo. Eu tenho todo o orgulho e gosto em tar na tua lista. A Edite é um relampago. Já tivemos noivos, mas isso já foi chao que já uvas. É a nossa embaixadora fashion, o nosso hiperlink para o mundo feminino. É aquela vilacondense ferranha (o rio ave começou mal linda). É aquela que tá sempre na moda, sempre toda chique. Se parece frágil está longe de o ser. É forte, corajosa, aplicada e merecidamente, uma grande aluna. Acho que nao deviamos ter rompido o noivado querida..lol. Por fim a Mariana. A Mariana é o sonho em movimento. É uma boneca de porcelana. Parece que pode partir a qualquer momento de tao frágil que aparente ser. Mas lá dentro é pura determinaçao, amor no seu estado bruto, alegria para dar e vencer. É a nossa embaixadora no Brasil. É a heroina do Principe de Portucale. Tem aqueles olhos que parece que nunca mais acabam no infinito. Apesar de baixinha, tem tal presença de espirito, que parece mais alta que a Torre das Antas. Enfim, és aquela estrela brilhante, que ilumina o céu e nos deixa felizes, só de sabermos que estás lá.
Paula - A última ou a primeira? Fica a dúvida..lol. A última porque se calhar é sobre ela que podia falar mais. A primeira porque é o centro da mina vida. Que se pode dizer sobre esta ninfa mágica? Nao vou dizer aquelas coisas do costume, que é a mulher mais bela, mais atraente, mais querida, fofinha, simpatica do mundo. Nao vou dizer porque nao é preciso. Já todos o sabem. Tambem nao vou dizer que é aquela boneca, convencida, birrenta, trenguinha, chatinha, coscuvilheira e mázinha (como ela diz ser), porque todos voces tambem já sabem que é. Nao vou dizer que a amo porque todos já sabem. Nao vou dizer que há dias em que nao a posso ver porque todos tambem já sabem. Nao vou falar das nossas milhares discussoes, em que num dia nos matamos e noutros tamos todos sorridentes, porque todos tambem já sabem. Entao que vou dizer? Vou dizer apenas que se morresse a falar com ela morria com a voz dos anjos a ecoar nos meus ouvidos. Morria ao lado de quem quero viver até esse dia chegar. Morria feliz. A Paula é muito para mim. Ela nao o quer, nem ela nem muita gente. Há que respeitar. Mas nao acatar. Enfim, posso resumir a ninfa com a mania que tá gorda e que quer ser a Cleopatra e ve demasiada TVI da seguinte forma: Se naqueles dias de chuva em que apetecia ficar na cama e naqueles dias de sol que só apetecia ir para a praia, eu nao faltei, algo me fez levantar e ir a correr para chegar o mais cedo possivel : ela! Acho que isso resumo tudo..

A todos os que ficaram de fora (sorry Prya, sorry Joaninha, sorry a todos os outros de quem eu gosto muito) prometo que falarei também de voces. Porque o meu dia a dia tambem o é graças a voces. Até lá fiquem todos com um grande abraço ou com um gigante beijinho.
Fiquem bem..todos
PS: Thanks por aturarem este chavalo..

Miguel LP

segunda-feira, agosto 18, 2003

AGRADAVEIS SURPRESAS - A SEQUELA 

Até agora posso parecer manteigueiro e melado. Mas é tudo verdade. Claro que tento lembrar os aspectos positivos. Há os negativos, mas os positivos sao bem melhores e sao eles que prevalecem. Claro que em todos vejo defeitos como todos vêm em mim. Ainda está fresco na memória de todos as minhas arrogancias, as minhas participaçaoes na aula, o meu humor cinico, a minha birra nos Cervejeiros. Faço Mea Culpa de todas essas merdas. E peço desculpa. Fui uma desilusao para muitos, bem o sei. Mas espero que para o ano consiga subir na vossa consideraçao.
Mas nao tou para isso. E acreditem, sinto mesmo isto que estou a dizer. E obrigado por serem meus amigos.
Continuando...
André - O último a juntar-se ao grupo. Mas nao o ultimo. É o nosso vertice virado para a comédia. Era o potencial sucessor do Marco Horácio no Levanta-te e Ri. O Viana é aquele grande aluno, que também é grande jogador de futebol, grande amigo, grande colega, grande em muita coisa. A dupla André-Rita "arrasa" com o Ivo e com nós todos em cinco segundos. O Viana é calma, é talento, é aplicaçao, é sense of humour, é companheirismo. É muita coisa que poucos têm. Por isso é tambem um dono de pleno direito do estatuto de amigo. Por sermos de turnos diferentes nao nos vemos tanto como acontece com outros mas acho que a base de uma boa amizade ficou lançada. É também um blogueiro, um paralelo. Os Discursos foram a base para este blog. Uma inspiraçao.
Leccio - Uma das maiores e mais agradáveis surpresas. É dificil um homem convencido como eu confessar que admira outros, sem ser a si próprio. Mas, e sem desprimor para os meus grandes amigos, há 3 pessoas na FAC que admiro muito, por razoes diferentes. Uma delas é o Leccio. Ás vezes gostava de ser como ele. Nao sei porque. Mas gostava. No inicio, o estilo alternativo dele nao me impressionou muito. Mas, o facto de ser da minha turma ajudou, descobri quanto estava errado. É o nosso craque. O nosso genio. O nosso chefe de redacção. É tambem um grande amigo que ouve, onde muitos comentam. Que apoia quando muitos deitam para baixo- Tem sempre aquela visao alternativa de tudo que lhe dá um estilo próprio. Nem imagina o que aprendi com ele nas nossas descidas até aos Aliados. E é tambem um passador de bolas impressionante. Só jogamos juntos duas vezes mas deu-me 4 golos a marcar. Se um dia me pedirem para escolher um jornalista para trabalhar ao meu lado, teria de o escolher a ele. Por estar muito acima de todos nós.
Danilo - O meu mestre. O segundo daqueles 3 que falei. Considero-o a melhor pessoa que existe. É o George Bailey da Madeira, de Portugal, do Mundo. É aquela pessoa que nos deixa parvos. Como alguem pode ser tao bom? Tao amigo? Tao porreiro? Tao camarada? Só mesmo o Danilo. É muito inteligente, apesar de ter de subir os seus niveis de auto-confiança. É um verdadeiro ladies man, é um farol para todos nós na faculdade. É ele que ouve quem tem problemas e que nao descansa enquanto nao os resolver. Muito fez ele quando as coisas davam para o torto entre mim e a Paula. É também um poeta. Ainda espero por poemas dele para publicar porque sao excelentes. Se algum de nós chegar a santo um dia...é ele. Um exemplo de força de viver, de se estar na vida, de como ser um homem com H grande.
Pedro - "Acorda para a vida" é uma frase que me vai marcar para sempre. Eu sempre detestei o Big Brother. Metia-me impressao sabem. E quando soube que teriamos um daqueles tipos na Fac, passei-me. Depois apareceu ele com aquele estilo todo, a captar atençoes e a dar espetaculo. O tipico leao (e claro que era do Sporting)! Mas depois fiquei parvo quando no final de uma aula de FMC com o GRANDE MILAN RADOS ele veio ter comigo e me elogiou. Fiquei parvo. Depois passei a olhar para ele doutra forma. Nao era nada um produto de reality shows. Era um tipo que gostava da vida e que a vivia ao máximo. Passei a falar mais com ele, e por tar na mesma turma, a trabalhar com ele. E descobri o verdadeiro Pedro. O grande porreiraço com aquele humor cortante e aquele braço amigo. Foi durante as nossas viagens de regresso a casa que descobri muita coisa boa sobre ele. Foi a ele que confessei pela primeira vez que era a Paula o Sol da minha vida. Foi ele o primeiro a desencorajar-me. Foi ele quem me apoiou durante as nossas "crises". Foi ele que fez muita coisa que outros nao fariam. Foi um verdadeiro amigo. Tambem tentei ser o mesmo amigo para ele mas acho sempre que fiquei uns furos abaixo do que ele é para mim. É ele o 3º tipo que admiro muito, mesmo muito. Também espero ter aqueles textos cheios de vida, irremediavelmente inconformados, aqui no Por do Sol.

E agora que tao os meninos, passemos ás meninas!!!!!
MLP

AGRADÁVEIS SURPRESAS 

Daqui a pouco tempo vai fazer um ano que comecei aminha aventura como estudante universitário. Do mundo universitário tinha péssima impressao. As praxes, os baldas, o convivio, tudo me parecia muito estranho e até mesmo mau. Tinha ficado desiludido com o ensino. O secundário foi péssimo. Os profs (alguns foram fabulosos) nao foram grande coisa, os colegas nao eram os melhores (excelentes pessoas mas nao grandes alunos) e o ambiente péssimo. Até desisti de ser prof por causa disso. Enfim era um desiludido. E como todos me conhecem era também um imbecil de ideias preconcebidas. Pensei que ia entrar num mundo de guerra, com muito sangue, suor e lágrimas á mistura. Nunca pensei que poderia ser o oposto. Um sitio porreiro para se estar, com novos amigos, nova vida, bem melhor. Enfim, as imbecilidades já sao marca da casa...
Posso dizer portanto que o balanço é superpositivo. Amigos, professores, ambiente, cadeiras, notas. Tudo foi excelente. Nao venho gabar-me das notas que tirei. Nao venho criticar profs. Nao venho falar das cadeiras nem nada do genero. Carago, tamos no Verao, bora lá relaxar. Venho falar das melhores surpresas que se depararam comigo ao longo do ano. Os meus colegas. Voces!
Fiquei parvo. De 0 a 20 tou tentado a dar 20 a muita gente. E quem me conhece sabe quão exigente sou. A sério. Todo o ambiente me deixou muito feliz. Criamos a pouco e pouco um grupo, ou vários grupos que conseguiram fazer uma grande familia. E dentro desses grupos vou ter de falar em algumas pessoas. Vou falar no meu grupo (se é que tenho só um, porque eu acho que sou como os Tribalistas dizem "eu sou de todo o mundo") e nos outros. Muitos que me desculpem mas vou falar dos meus amigos. Gosto de todos voces mas deixem-me falar só destes tá? Thanks.
Entao é assim. Supostamente o meu grupo seria o Ricardo, o Ivo, o Duarte e o André. Os rapazes, ou algo do género. Depois, e para completar os Cervejeiros, temos de incluir o Leccio e o Danilo. E claro, o Pedro como cereja no topo do bolo. E há rapazes sem raparigas? Nao. Entao tenho de falar nas ninfas, na Marian, na Eva, na Raquel e na Joana. E só para falar daqueles que me sao mais proximos.

Ricardo - Um grupo é como uma figura geométricas. Recheados de vértices. Se for um circulo nao é um grupo. Entao se no nosso grupo temos vários vértices, o Ricardo é o centro. É o que equilibra. Se eu sou o vertice romantico, o Ivo o da acçao, o Viana o do humor e o Duarte o da filosofia, entao Ricardo é a nossa balança. É uma pessoa que admiro muito. Espero que ele o saiba. Curiosamente foi o meu 1º amigo. A vida tem destas coisas. No primeiro dia de aulas eu tava pouco á vontade. Ao entrar na sala vi muito lugares vazios mas nao queria ficar só. Entao vi o Ricardo (um rapaz no meio de tantas mulheres) e perguntei-lhe se me podia sentar. Ele disse, com aquele seu jeito de Alberto Caeiro, que sim. Sentei-me, começamos a falar, fomos almoçar juntos, e ficamos amigos. Espero que dure muitos anos. O Ricardo é o mister cool em pessoa. Tá sempre calmo, tá sempre disposto a ajudar e é verdadeiramente espantoso. Grande jogador de futebol, óptimo aluno, soberbo amigo, é aquela figura que ficará para sempre na memória dos nossos dias de estudantes. É aquela máquina..
Ivo - Depois do Ricardo, conheci o Ivo. Conheci-o através do Ricardo e de uma religiao que nos une: o CM. Começamos por falar do jogo, depois passamos ao futebol no seu geral, e subitamente já falavamos de mulheres. O mote tava dado. Eramos amigos. Curiosamente era estranho que os dois primeiros amigos de um portista ferrenho tenham sido um lagarto e uma aguia. Enfim, a vida é assim. O Ivo é muito diferente do Ricardo. No grupo é o que acho que se parece mais comigo. É timido, embora tenha ar de galã. É sincero, é emotivo, é inteligente como poucos. Adora futebol mas nao é nada faccioso. É teimoso, como eu. Quando tivemos a "guerra civil" dentro dos Cervejeiros ficamos cada um do seu lado da barricada. A amizade teve em perigo, mas felizmente voltamos atrás. E ainda bem, porque senao perderia um fiel companheiro. Pena ser S. Joao da Madeira tao longe. Senao certamente que nos viamos mais vezes.
Duarte - O terceiro conhecimento e o mais surpreendente. A principio nao o vi com bons olhos. Tava sempre a "colar-se" ao trio e parecia-me algo excentrico. No entanto, a pouco e pouco pude conhece-lo. E foi uma surpresa brutal. Era a unica pessoa que eu conhecia que tinha a mesma paixao pelo cinema, pela literatura que eu. Era uma lufada de ar fresco poder falar com alguem sobre Ford, Hitch..entre outros. Depois descobri tambem um grande portista, um ferrenho que nao admite que a equipa jogou pior "nao jogou foi tao bem como costuma jogar". Descobri um filósofo, um pensador da vida. Um homem das mulheres, apesar de nao se dar tao bem com elas como devia. É um portento de inteligencia, cultura, arrojo, enfim. É tambem um companheiro de aula (quantas vezes nao nos safamos na aula da Helena Lima) Durante um tempo "Eduardo e Miguel" foram aquela dupla. És tambem repetitivo, insistente e chegas a ser chato Duarte. Nao te chateies. Todos temos defeitos. O teu é esse. Ainda bem que nao é grave. Tens é de viver a vida com mais calma e mais aberto aos outros. De qualquer forma és um barómetro no qual me oriento por vezes. É sempre bom saber que os há. És também um companheiro blogueiro.O Ideias e Pensamento é uma lufada de ar fresco na blogosfera. Continua pá...

Continuo já a seguir. Para isto nao ficar um testamento..see ya

MLP

SUPERLIGA??? DE SUPER NAO TEM NADA 

Esta semana foi dado o pontape de saida para mais uma ediçao da SuperLiga. O favorito, FC Porto, e os outros regressam aos relvados portugueses, recheados de caras novas, apesar da crise que afecta todo o sector (menos o Real Madrid claro), e de esperanças. Afinal este é o ano do Euro2004, o ano dos novos estádios, o ano dos jovens prodigios se afirmarem, o ano de muita coisa. Só que tamos em Portugal, o país do circo, das polémicas e das palhaçadas. Nem neste ano mágico para o nosso futebol elas desaparecem. Pelo contrário, sao como os focos de incendio. Apaga-se um ali, lá surge outro acolá. A SuperLiga, que era suposto começar na sexta, começou no sábado, porque na quinta os senhores da Liga se lembraram de um processo levantado pela indignada Naval 1º de Maio. Tudo por causa de dois minutos no último jogo, da última jornada, da última II Liga. A incompetencia da Naval e a sorte do Estrela da Amadora deram origem a um processo, que só dois meses depois entrou em vigor e por isso, até nova ordem, nenhum desses clubes joga. E o Belenenses, e os outros que se lixem. É mesmo á portuga. Incompetentes até ao fim.
Mas para além da polémica houve futebol. Pouco, como também é habito por estes lados, mas houve. Começou em Coimbra. Um génio qualquer, ou vários porque somos um país extremamente dotado de mentes brilhantes, lembrou-se de colocar os bilhetes a 12 contos. Depois o estádio nao encheu. Deve ter surpreendido muita gente. Enfim a Académica até começou bem mas depois sofreu o trauma dos clubes pequenos e foi recuando, recuando, recuando..até que perdeu o jogo. Mesmo no último minuto que é para o castigo ser mais duro. Nem rapando o bigode o Artur Jorge aprende que é no ataque que se ganham os jogos. O Sporting nao jogou muito. Ainda tem muito que evoluir mas já tem uma base montada. E valeu sobretudo Rochemback, a nova figura dos leoes, que já impos o seu estilo que parece agradar aos leoninos.
No domingo mais jogos. O Alverca regressou em estilo e bateu um apático Gil Vicente. O Nacional da Madeira (grande Danilo hem), continuou o bom momento da última época e bateu o Paços de Ferreira, isto enquanto o Maritimo e o Moreirense também se estrearam a vencer. Para o fim do dia os dois grandes encontros. Num Bessa semi-cheio, o Benfica voltou a nao convencer. O Boavista mostrou uma significativa evoluçao desde o torneio do Centenário e soube anular os poucos lances de perigo dos encarnados. O golo nao apareceu, os pontos ficaram divididos e ficou-nos no olho as exibiçoes de luxo de Raul Meireles e Frechaut. Nas Antas começou mais uma época de vitórias. Com um estádio cheio o FC Porto venceu mas nao convenceu, como nao o tinha feito em Guimaraes para a Supertaça. Falta velocidade, ritmo, dinamica de jogo aos comandados por José Mourinho. Deco esteve a milhas do que pode fazer, e apesar dos dois golos (um mal anulado..começa bem isto) McCarthy nao convence. Derlei fechou a contagem mas o Braga foi um digno oponente e promete fazer estragos num futuro próximo. Para as bandas dos dragões com o cofronto contra o AC Milan no Monaco e contra o Sporting nas Antas, é preciso melhorar muito. E apostar em Bruno Moraes.
Hoje acabou o 1º dia (se excluir-mos o jogo em atraso entre Estrela e belenenses) do campeonato com o Vitória a bater o Leiria em duelo de candidatos a europeus. Um jogo fraco, com apenas um golo, o que nao é um bom sinal para inicio de campeonato.
Resta esperar que a coisa melhore. Pelo menos antes de chegar a invasao estrangeira..

MLP

Greetings!! 

Um Blog de um apaixonado incondicional, onde os posts s?o invariavelmnte da autoria do mesmo individuo pode ser considerado um tanto ou qto doentio...mas a gente aguenta, ja aguentei coisas bem piores, como a mha prof de TLB por exmplo.
Mas ta ok, a gente sobrevive a esses pequenos traumas... A esses e a tantos outros, como akele que cai agora sobre o coracao do nosso amigo bloguiano, tao rudemente trespassado.
Mas esquecendo agora, esse incidente, vou deixar vos com uma letra k marcou a mha ultima relacao. e exactamente a mha historia dos ulltimos 10 meses. sem tirar nem por... um tanto ou qto lllllamesxas, mas valia referir..... depois seguiremos pra mares menos tempestuosos!

Fikem bem, um grande abraco e ate futuros posts.

Caetano Veloso - o Mestre -

SONHOS


Tudo era apenas uma brincadeira
E foi crescendo, crescendo, me absorvendo
E de repente eu me vi assim completamente seu
Vi a minha for?a amarrada no seu passo
Vi que sem voc? n?o h? caminho, eu n?o me acho
Vi um grande amor gritar dentro de mim como
eu sonhei um dia
Quando o meu mundo era mais mundo
E todo mundo admitia
Uma mudan?a muito estranha
Mais pureza, mais carinho mais calma, mais alegria
No meu jeito de me dar
Quando a can??o se fez mais clara e mais sentida
Quando a poesia realmente fez folia em minha vida
Voc? veio me falar dessa paix?o inesperada
Por outra pessoa
Mas nao tem revolta nao
Eu so quero que voce se encontre
Ter saudade at? que ? bom
e melhor que caminhar vazio
A esperanca e um dom
Que eu tenho em mim
Eu tenho sim
Nao tem desespero nao
Voce me ensinou milhoes de coisas
Tenho um sonho em minhas maos
Amanha sera um novo dia,
Certamente eu vou ser mais feliz



Passados os traumas, fica o post

Abraco, e sem eskecer as sras, um beijo

The One



domingo, agosto 17, 2003

OS ERROS DA DEMOCRACIA 

Vivemos num Mundo hipócrita! Quem nao se adapta é eliminado. Prontamente. Quem se vende, sobrevive por fora mas apodrece, lentamente, por dentro. E tudo isto sob o manto intocável da Democracia. Essa majestosoa e omnipotente Democracia. Esse termo desprovido de sentido. Essa invençao burguesa cujo objectivo nao é o de nivelar o POVO com as classes Altas, mas sim acabar com a distinçao entre aristocratas e homens de négócios. Sob o nome da democracia muitos morreram no cadafalso durante a Revoluçao Francesa. Pela igualdade muitos foram fuzilados durante a Comuna de Paris. No entanto a Democracia nao traz igualdade, liberdade e muito menos cria laços de fraternidade. Pelo contrário. Afasta-os dos cidadãos.
Pode-se conceber como um Mundo igualitário o que se vive nos nossos dias? Nao! Hoje vive-se no lodo do cinismo e da falsdidade. Já não há lugar para a honestidade ou integridade. Ja nao há lugar para Homens de principios.
Sob o manto da Democracia uma classe social vampirizou a sociedade. Sugou aos nobres os titulos, transformando-os de viscondes a Excelentissimos Senhores Engenheiros/Banqueiros.... Roubou ao POVO a sua força de trabalho. Apoiados pelos regimes de centro-direita, mais fascistas que Mussolini e mais salazaristas que o próprio Salazar, chegaram ao topo. Mas essa ascensão, essa vil e pérfida ascensão acabou sempre legitimada pela Democracia, essa tao bela e tao falsa palavra que subsiste no vocabulário mundial. Os Burgueses andam de Ferraris, Mercedes e BMW´s. Passam as férias nas Seychelles, no Brasil ou nas Caraíbas. Tem várias moradias e conhecem todos aqueles que vale a pena conhecer. Isto enquanto o Povo passa fome. O POVO nao tem onde dormir. O POVO nao tem onde trabalhar porque o dinheiro dos empresarios nao vai para as fábricas. Vai para as contas na Suiça, para os diamantes das mulheres, para as viagens das amantes. O POVO ve o seu mundo arder como a floresta portuguesa. Vejam se Cascais está a arder? Ou Vilamoura? O POVO sofre. O POVO queixa-se. Mas nada muda. No entanto em Democracia é o POVO quem mais ordena.
QUE HIPOCRISIA.
E será justo acreditar na igualdade! Nao, nao falo da verdadeira igualdade, nao se apoquentem. Falo da "igualdade burguesa". Falo daquele termo asqueroso e sagrado que rege todos nós. Qual é a lógica desta igualdade? Nenhuma, absolutamente nenhuma! Vejamos pois. Um cidadao, digamos, um médico. Ganha pouco para o que faz (nao falo de especialistas ou privados note-se). Trabalha mais do que se calhar devia. Perde tempo com os amigos, a familia e aqueles que gosta. No entanto tem os mesmos direitos á luz de qualquer constituiçao burguesolas do que um parasita universitário (aqueles que demoram 10 anos a acabar um curso de 4), uma dona de casa displicente, um empresário corrupto ou até mesmo de um daqueles simpáticos tipos chamados de arrumadores de automóveis..Qual é a lógica??? Nao há! Claro que nao há!!!
A ideia é de dar a ilusao de que somos mesmo todos iguais aos olhos da lei quando no fundo somos é todos explorados. Uns mais, uns menos. Os mais, aqueles que realmente merecem de forma honrada o titulo de cidadaos. Os menos, aqueles que nem sequer preenchem a maior parte dos requisitos minimos para serem considerados Seres Humanos. Sao Burgueses. Escória do mundo..
A Democracia nao existe. A igualdade é irreal. A fraternida uma utopia. A coragem dos revolucionários franceses desvaneceu-se nas carteiras dos balofos e endinheirados que se lhes seguiram.
Casas Pias, Prestiges, frangos, um país a arder, futebois, Big Brothers e afins cegam-nos diariamente. Tal tem de terminar. Temos de começar a pensar, a sair para as ruas, a aencher as praças, a preencher avenidas, a pegar em armas em crivar de balas o podre manto criado para nos iludir. Só aí tomaremos contacto com a verdadeira realidade.
E mesmo assim, muito ainda ficará por fazer...

MLP

ANGEL 

you Spend all your time waiting
For that second chance
For a break that would make it okay
There's always some reason
To feel not good enough
And it's hard at the end of the day
I need some distraction
Oh beautiful release
Memory seeps from my veins
Let me be empty
well weightless and maybe
I'll find some peace tonight

In the arms of the angel
Fly away from here
From this dark cold hotel room
And the endlessness that you fear
You are pulled from the wreckage
Of your silent reverie
You're in the arms of the angel
May you find some comfort here

So tired of the straight line
And everywhere you turn
There's vultures and thieves at your back
And the storm keeps on twisting
You keep on building the lies
That you make up for all that you lack
It don't make no difference
Escape one last time
It's easier to believe in this sweet madness
all This glorious sadness it brings me to my knees

In the arms of an angel
Far away from here
From this dark cold hotel room
And the endlessness that you fear
You are pulled from the wreckage
Of your silent reverie
You're in the arms of the angel
May you find some comfort here
You're in the arms of the angel
May you find some comfort here

Pela primeira vez O Por do Sol recebeu uma contribuição para a nossa rubrica de letras de musicas. Ainda fico mais feliz por ter sido de uma amiga muito especial que nem liga muito a estas coisas da blogosfera. Obrigado Kuki...
A musica pertence à Banda Sonora do belo filme City of Angles, com Nicolas Cage e Meg Ryan, e chama-se Angel. Aqui fica...

MLP

sexta-feira, agosto 15, 2003

ESSA TAL LIBERDADE? 

O que é que eu vou fazer com essa tal liberdade?
Se estou na solidao pensando em voce.
Eu nunca imaginei sentir tanta saudade
Meu coraçao nao sabe como te esquecer.

Eu andei errado, eu pisei na bola.
Troquei quem mais amava por uma ilusao.
Mas a gente aprende, a vida é uma escola.
Nao é assim que acaba uma grande paixao.

Quero-te abraçar, quero-te beijar
Te desejo noite e dia.
Quero-me prender, todo em voce
Voce é tudo o que eu queria.
Quero-te abraçar, quero-te beijar
Te desejo noite e dia.
Quero-me prender todo em voce
Voce é tudo o que eu queria.

O que é que eu vou fazer com esse fim de tarde?
Para onde quer que olhe eu penso em voce.
Nao sei se fico aqui ou mudo de cidade.
Sinceramente amor, nao sei o que fazer!

Eu andei errado, eu pisei na bola,
Achei que era melhor cantar outra cançao.
Mas a gente aprende, a vida é uma escola.
Eu troco a liberdade pelo teu perdao.

Quero-te abraçar, quero-te beijar.
Te desejo noite e dia.
Quero-me prender, todo em voce
Voce é tudo o que eu queria.
Quero-te abraçar, quero-te beijar
Te desejo noite e dia.
Quero-me prender todo em voce
Voce é tudo o que eu queria.

O que é que eu vou fazer com essa tal liberade?
Se estou na solidao pensando em voce.
Eu nunca imaginei sentir tanta saudade
Meu coraçao nao sabe como te esquecer.

Eu andei errado, eu pisei na bola.
Achei que era melhor cantar outra cançao.
Mas a gente aprende, a vida é uma escola
Nao é assim que acaba uma grande paixao.

Quero-te abraçar, quero-te beijar
Te desejo noite e dia.
Quero-me prender, todo em voce
Voce é tudo o que eu queria.
Quero-te abraçar, quero-te beijar
Te desejo noite e dia
Quero-me prender todo em voce
Voce é tudo o que eu queria.

Essa tal Liberdade é uma das musicas mais espantosas dos Só Para Contrariar, umas das maiores surpresas da musica brasileira dos ultimos tempos. Alexandre Guedes e seus pares têm sabido captar o seu publico com belas melodias e letras viradas para temas relaccionados como o amor. Apesar do seu grande exito ser Final Feliz, numa fabulosa parceria com Caetano Veloso, é em Essa Tal Liberdade, que os SPC retratam fielmente o discurso do arrependido, pedindo desculpas á sua amada depois de a ter traído. A letra é deliciosa e é facilmente percebida por todos os casais do mundo. Lembrando-me da simpática ninfa Carolina, a quem uma vez apanhei a escrever a letra desta música, decidi que esta seria a primeira letra de uma musica cantada em portugues.
Continuaremos com as letras das nossas musicas favoritas. Se tens alguma nao exites. Manda por mail e ela aparecerá aqui qual um truque mágico de Harry Potter.

MLP

O CREPUSCULO DA ESQUERDA 

Ao contemplar o panorama politico nacional é dificil nao mostrar uma inquietante preocupação.
Portugal é um país onde vigora o sistema democrático, coroado pelo modelo capitalista que saiu vencedor da Guerra Fria. É uma versão provinciana, é certo, mas que contudo nao deixa de ser capitalista. Que o digam os trabalhadores despedidos ao longo deste ano de dezenas de fábricas que se preparam para mudar para os novos membros da UE!
Ora vivendo num sistema capitalista é natural que seja a direita a moldar o país. E o que é a direita portuguesa? Pouca coisa! Falta-lhe ideias, dinamismo e caracter inovativo. No fundo falta-lhe o que falta a toda a direita. É uma direita que vive ainda sob um fantasma de um atentado que nunca o foi. É uma direita que ainda acredita nos milagres de Nossa Senhora onde ninguem os vê (pelos vistos o Paulinho das Feiras nao convoca a Virgem para apagar os fogos, só para desviar o petróleo). A direita portuguesa subiu ao poder despertando o medo nas populaçoes do espectro comunista. Colou-se a quem lutou nas ruas pelos ideais de Abril. É nesta direita, nesta triste direita, que encontramos o nacionalismo bacoco e feirante do PP, o anti-europeismo da Nova Democracia do Monteiro e o elitismo pequeno-burgues do PSD.
Normalmente apenas considerariamos estas tres forças (A Nova Democracia pode acabar com o PRD, mas dou-lhe um pequeno benificio de duvida) como as unicas representantes da direita em Portugal, como parte integrante do Sistema. Mas nao. Há uma quarta força! Um partido que nunca o foi. Que suspira de saudades pelos dias em que andava nas ruas e que hoje anda de maos dadas com o dinheiro sujo que corrompeu a nacao. Um partido que está envolvido num escandalo monstruoso. Um partido que navega sem ver bom porto ao longe. O PS, ao contrário do que gosta de fazer pensar, nunca foi um partido do povo, de massas. Foi, desde o inicio, um partido de quadros, um partido de burgueses que pouco se querem incomodar com quem realmente sofre e que sao capazes de promulgar qualquer coisa, desde que nao os afecte é claro. Só assim se consegue compreender o cenário rocambolesco dos ultimos anos, desde o fim de uma relaçao de amor entre os primeiros anos do guterrismo onde tudo era rosas e os últimos dias onde o lodo cobrira este jardim á beira mar plantado. E há que nao esquecer que a falta de "ferro" ao PS pode ser prejudicial nos próximos tempos. O PS salvou Portugal mas nao se salvou a si próprio. Nao definha sequer porque já nao existe como partido. É uma instituiçao repartida entre ferozes saudosistas da esquerda nas ruas que vêm com bons olhos uma aproximaçao ao BE ou aqueles que, pertencendo ao poderoso cla Soares, fazem tudo o que o "pai fundador" lhes manda.
O Partido Comunista Portugues é um caso sem presente e sem futuro, começando mesmo a questionar o seu passado. A sua morte nao ocorreu com a crise dos renovadores, mas sim com a já longinqua queda do Muro de Berlim e do império soviético. O seu crepusculo tinha já despontado com o raiar da democracia quando se percebeu que o mio era falso, que os milhoes de camaradas nao eram assim tantos. Ficou entao a nostalgia, o ressentimento de um grupo de pessoas que lutou contra o regime e queria agora recuperar o espólio. Qual Moisés, os comunistas, lutaram anos e anos no deserto e foram impedidos de ver a "terra prometida".
Resta entao o Bloco de Esquerda (Os Verdes, o MRPP e todos esses pequenos parentes nem valem a pena serem mencionados). Esse estranho e inquietante BE. Concordando ou nao com o seu programa, temos de admitir que Louça e Ldt. foram uma lufada de ar fresco no amorfo hemiciclo do Parlamento. Touxeram questoes eminentemente sociais, defendendo-as com o vigor e a pujança dos jovens. Mas quem está por derás do BE? Serão as massas? Serao os lobbies? Nao. Claro que nao. As massas nao estao ao lado da TVI e SIC e os lobbies já compraram o Bloco Central. O seu apoio cinge-se entao a uma pequena parcela do mundo universitário (que daqui a uns anos votarão indubitavelmente PS) e aos padres confessores da nossa era, os psicologos, psiquiatras, sociologos e todos aqueles que se arrogam de ter a explicaçao para tudo. Com tao insignificantes apoios será que o BE irá a algum lado (ou seja será governo?). Se a luta pelo eleitorado levar a uma centralizaçao do BE (nao se confunfam porque estou longe de estar ao lado desta nova vaga de esquerda light) será que a sua existencia terá relevo?
Nao. Porque assim a esquerda voltará a estar morta em Portugal. Assim Portugal continuará a copiar a Europa, conquistada por perigosos ventos de direita que patrocinam um mafioso como lider da Italia, um arrogante no poder em França, e um perigoso homem, de nome Blair, Tony Blair, que disfarçado de esquerdista, colocou a poderosa Inglaterra aos pés de um tal Bush.
Se a Esquerda nao acordar. Se nao vir o que se passa. Se nao pensar na Imigraçao, no Ambiente, na Segurança, na Saude, na Europa Federalista ou nao, se nao despertar entao tudo está perdido. Resta-nos sonhar que se a direita se deitar no leito do poder desponte no futuro uma geraçao de garra capaz de voltar a trazer a esperança ao mundo. Afinal foram os jovens que fizeram a Revoluçao Francesa, a Revoluçao Bolchevique, o 25 de Abril..enfim, todas as Revoluçoes!
Acorda esquerda..é a hora!

MLP

PS: O autor deste blog nao tem qualquer filiaçao partidária, como foi facilmente perceptivel pelo texto. Afirma-se com um homem de esquerda (como ele diz, "ser de direita é ter um cifrao no lugar do coraçao) e espera que seja nisso seguido por muitos. Nao conta o partido, o que conta sao as ideias. As nossas ideias.

quinta-feira, agosto 14, 2003

POINTS OF AUTORITY 

Forfeit the game
Before somebody else
Takes you out of the frame
And puts your name to shame
Cover up your face
You can´t run the race
The pace is to fast
You just wont last

You love the way i look at you
While taking pleasure in the awful things you put me too
You take away if I give in
My life, my pride is broken

You like to think you´re never wrong
(You live what you´ve learned)
You have to act like you are someone
(You live what you´ve learned)
You want someone to hurt like you
(You live what you´ve learned)
You want to share what you´ve been trough
(You live what you´ve learned)

You love the things I say i´ll do
The way i´ll hurt myself again just to get back at you
You take away when I give in
My life, my pride is broken

You like to think you´re never wrong
(You live what you´ve learned)
You have to act like you are someone
(You live what you´ve learned)
You want someone to hurt like you
(You live what you´ve learned)
You want to share what you´ve been trough
(You live what you´ve learned)


Forfeit the game
Before somebody else
Takes you out of the frame
And puts your name to shame
Cover up your face
You can´t run the race
The pace is to fast
You just wont last

Forfeit the game
Before somebody else
Takes you out of the frame
And puts your name to shame
Cover up your face
You can´t run the race
The pace is to fast
You just wont last

You like to think you´re never wrong
(You live what you´ve learned)
You have to act like you are someone
(You live what you´ve learned)
You want someone to hurt like you
(You live what you´ve learned)
You want to share what you´ve been trough
(You live what you´ve learned)


Points of Autorithy é uma das músicas mais poderosas de Hybrid Theory, o primeiro grande exito da banda norte-americana Linkin Park. Curiosamente o nome do album foi retirado do antigo nome da banda. Os Linkin sao um grupo que mistura nas suas musicas várias tendencias, desde o hip-hop ou rap até a uma musica alternativa recheada do som estridente de guitarras e baterias, tudo sintetizado por um excelente DJ. Sao seguramente um dos maiores nomes da musica alternativa, se bem que algo pesada, da cena norte-americana. Pessoalmente sempre os achei muito barulhentos para o meu gosto, até que uma agradável viagem me fez redescobrir a beleza das suas letras e a sonoridade das suas músicas. Para amar Hybrid Theory e respeitar Meteora é preciso ser-se paciente e perspicaz. Mas quando se começa, nao se quer parar. Comecei graças a dois amigos, o Leccio e a Marian. Parar nao está num horizonte próximo..e eles vem a

MLP

quarta-feira, agosto 13, 2003

A longa Avenida 

Descia eu a longa avenida alegremente quando reparei que estava só. Nao se via vivalma ao fundo. As janelas estavam fechadas, as cortinas cerradas, as varandas vazias. Estava um calor abrasador e eu estava só. Mesmo assim decidi. Continuo. Assim avancei. Avancei sem saber para onde, sem saber porque. Avancei só porque mais ninguém parecia querer fazer este caminho comigo. Tinham-me abandonado. Nao chorei, mesmo estando triste por ter sido deixado só. Continuei a andar. Ocasionalmente passava um autocarro. Também ele sem condutor, sem destino, sem razão de existir. No entanto ele seguia em frente. Vou fazer como o autocarro, pensei. As minhas mãos tocavam em todas as folhas com que me cruzava. Pareciam-se suaves e cheias de vida. Vida! Que coisa bela. Que coisa tao estranha e tao necessária. Vida! Continuei, sempre a andar, sempre a caminhar, sempre em frente. Fui descendo a longa avenida que parecia crescer em vez de diminuir. Estaria a andar para a frente enquanto todo o mundo andava para trás? Ou seria o único a voltar ao início quando todos queriam chegar depressa demais ao fim? Continuei, sempre a andar. Tive vontade de correr. Contive-me. Mantive a postura de homem sério, honesto, digno... todas aquelas coisas que é suposto ser-se quando nao se anda em vez de correr, as longas avenidas que nos surgem pela frente. A certa altura, já o suor caía abundantemente da minha face, já o efeito do gel que tinha posto delicadamente no cabelo se esvanecia, já a camisa estava desabotoada, vi o fim. Lá estava ele. O fim da longa e imensa avenida. No entanto estava escuro. Nao conseguia ver o que era. Nao conseguia distinguir entre a longa bruma que o cercava. Á volta tudo era limpido e claro e transparente. Tudo era sol, tudo era vida. Mas o fim era escuro, sombrio, distante. Quereria eu seguir mesmo em frente. Quererira eu seguir até ao fim? Bem, pensei, se já cá estou, porque nao? E continuei a seguir. Á esquerda o sol punha-se, deitando-se suavemente nas ondas do azul e infinito mar. Á direita a lua começava a posicionar-se. A lua é o vigia da noite. Todas as noites arranja um local melhor para nos guardar. A sol piscou o olho e disse adeus. A lua sorriu e acenou. O turno tinha mudado. Tudo estava mais escuro agora. Continuava a querer avançar, a chegar até ao fim, mas era dificil. As sapatilhas, as mesmas que uso todos os dias porque me apaixonei por elas numa fria tarde de Outuno, pareciam colar-se ao chao. Lutei, degladiei, enfrentei mil e um fantasmas. A todos eles venci, a todos eles espantei. Continuei, segui em frente. Depois engoli em seco. Tinha chegado o fim, a bruma, o nevoeiro, a escuridão. Faltavam dois passos para lá entrar. Quereria mesmo? Estaria disposto a arriscar, eu que nem arrisco no vencedor do Porto-Trofense. Teria a coragem necessária? Nao. Tive medo e decidi voltar. Ainda nao era a hora. Foi entao, que de todos os cantos da longa e vazia avenida, surgiram pessoas. No inicio pareciam apenas vulgares manchas, indistintas entre si. Depois, e à medida que se aproximavam, vi que eram pessoas. Quanto mais próximas mais eu as distinguia. Nao eram só pessoas, eram meus amigos, meus companheiros, meus irmaos. Uns vinham a andar, como eu, por serem homens serios, honestos e dignos. Outros corriam por serem livres, e alegres e jovens. Todos, exceptuando um velhote que parecia atrasado porque tinha parado para apanhar um velho panfleto que lhe lembrava os tempos d ejovem, se acercaram de mim. Um a um sorriram. Nao disseram uma palavra. Apenas olharam para mim e sorriram. Um sorriso gigante encheu a longa e outrora vazia avenida. Mudei. Já nao tinha medo. Já nao tava só. Já tinha perdido a vontade de chorar. Decidi seguir em frente. Fiz-lhes o gesto de despedida, aquele que faço sempre que me despeço de alguem que me cerca e depois sorri sem dizer uma palavra, e entrei. Entrei na bruma, entrei na escuridão, no nevoeiro. Já nao via a lua vigilante, já nao via o azul e infinito mar. Já nao via os sorrisos nem a longa avenida. Continuei, sempre calmo sempre expectante. A pouco e pouco a bruma foi-se desvancendo, o nevoeiro desaparecendo e a escuridão escondeu-se. Uma luz, uma ténue luz, iluminou entao um ponto. Curioso, como todos aqueles que gostam de se levantar e ver o que fazem os vizinhos do prédio da frente aos primeiros minutos do dia, fui ter com a luz. Quando lá cheguei vi um enorme e dourado espelho. Estranhei. O que faz um espelho no meio da bruma, do nevoeiro, da escuridão? De repente, sem que eu estalasse os dedos ou algo do genero, o espelho ganhou cor e mostrou-me algo. Mostrou-me a mim próprio refletido. Nao me mostrou como eu estava naquele instante. Mostrou-me como eu era quando dei os primeiros berros após ter nascido. Mostrou-me com a minha primeira bola de futebol. Mostrou-me abraçado aos meus pais. Mostrou-me o meu primeiro beijo. Mostrou-me tudo o que eu queria ver. Chorei. Nao chorei por ter medo ou por estar triste. Nao chorei por estar alegre ou feliz. Chorei porque tinha de chorar. Entao, o espelho apagou-se. Toda a bruma, todo o nevoeiro, toda a escuridão sumiram num instante. A longa avenida tinha ganho de novo cor, a lua vigilante tinha dado de novo o lugar ao pachorrento sol. E só então, ao contemplar de novo o azul e infinto mar, é que percebi. Acabara de experimentar a experiencia máxima que um homem pode almejar. Tinha sonhado, tinha amado, tinha chorado, tinha sofrido, tinha cantado, tinha dançado....tinha vivido!

Miguel LP

domingo, agosto 10, 2003

DESIRE AS 

DESIRE AS...

IVE GOT SIX THINGS ON MY MIND
YOURE NO LONGER ONE OF THEM
IVE GOT SIX THINGS ON MY MIND
YOURE NO LONGER ONE OF THEM
DESIRE IS A SELF FIGURED CREATURE
WHO CHANGES OUR MIND
DESIRE IS A SELF FIGURED CREATURE
WHO CHANGES OUR MIND


THEY WHERE THE BEST TIMES
THE HOTTEST YEARS
WITH JAM TO LAISE THE BREAD
SO GODNESS
GODNESS KNOWS WHY I TRHOW IT TO THE BIRDS
BUT THERE IT IS
AND THERE IT WAS VERY HARD
AND ALL I EVER WANNA BE WAS
FALL FOR THE EYES THAT ASKED ME:
"IN IS BEADROOM GONNA BE AND
IS IT TRUE YOU ONLY SEE
DESIRE AS SELF FIGURED CREATURE WHO CHANGES YOUR MIND
DESIRE AS SELF FIGURED CREATURE WHO CHANGES YOUR MIND"

IT´S PERFECT AS IT STANDS
SO WHY THEM CRUSHED IN YOUR PERFECT HANDS

IVE GOT SIX THING ON MY MIND
YOURE NO LONGER ONE OF THEM
IVE GOT SIX THINGS ON MY MIND
YOURE NO LONGER ONE OF THEM

SO TELL ME, YOU MUST HAVE THOUGHT THAT ALL I WANTED WAS GONE
OH GODNESS, GODNESS KNOWS WHY YOU THROWED TO THE BIRDS
YOU MARK THE GOOD THINGS
PLAY THE HARMSTTRINGS
PLAYTHEM ONE BY ONE
BUT THERE IT IS
AND VERY HARD
AND ALL I EVER WANNA BE
WAS FALL FOR THE EYES WHO ASKED ME:
"IN IS BEADROOM , GONA BE AS
IS IT TRUE YOU ONLY SEE
DESIRE AS A SELF FIGURED THAT CHANGES YOUR MIND"

ITS PERFECT AS IT STANDS, SO WHY THEM CRUSH UP IN YOUR PERFECT HANDS

DESIRE AS SELF FIGURED CREATURE THAT CHANGES YOUR MIND

"IN IS BEADROOM GONA BE AS
IS IT TRUE YOU ONLY SEE
DESIRE AS SELF FIGURED CREATURE THAT CHANGES YOUR MIND"


IVE GOT SIX THINGS ON MY MIND
YOURE NO LONGER ONE OF THEM
IVE GOT SIX THINGS ON MY MIND
YOURE NO LONGER ONE OF THEM

IT´S PERFECT AS IT STANDS SO WHY THEM CRUSHED IN YOUR PERFECT HANDS
DESIRE AS A SELF FIGURED THAT CHANGES YOUR MIND
DESIRE AS A SELF FIGURED THAT CHANGES YOUR MIND

IVE GOT SIX THINGS ON MY MIND
YOURE NO LONGER ONE OF THEM
IVE GOT SIX THINGS ON MY MIND
YORUE NO LONGER ONE OF THEM

PREFAB SPROUT - 1985

ESTA É UMA NOVA RUBRICA DO POR DO SOL..LETRAS DE MUSICAS QUE NOS DIZEM ALGO.. SE TENS ALGUMA MUSICA E GOSTAVAS DE VER AQUI A LETRA DIZ. A PRIMEIRA A ABRIR ESTE CICLO É O DESIRE AS, UMA DAS MINHAS FAVORITAS, QUE ME FAZ MUITO LEMBRAR ALGUÉM..
ATÉ Á PROXIMA LETRA

MLP

sábado, agosto 09, 2003

PALAVRAS QUE TE DIREI 

Há pessoas que sao por insinto mais calmas. Mais seguras de si talvez. Mais controladas. Pensam antes de dizerem algo, raciocinam tudo o que fazem. Ás vezes excessivamente, é preciso reconhece-lo. No entanto, é um tipo de pessoa que me agrada. Porque têm um respeito muito prórpio pelas outras pessoas. Ao pensarem no que vao dizer estao a tentar cuidar bem as palavras. Há quem diga que isto é falsidao, ou pelo menos pode levar a ela. Se calhar é. Mas para mim é mais o facto de, ao nao quererem magoar as outras pessoas, tenham todos os cuidados do mundo. Isso é bonito, apesar de tudo, nos tempos de hoje, é mesmo bonito.
Depois há outro tipo de pessoas. Precipitadas, apressadas, irrequietas. Pessoas do tipo "dispara primeiro, pergunta depois". Sao pessoas que gostam de ser amadas (quem nao gosta), e que precisam de o sentir. Precisam de saber que estao a ser amparadas. Mesmo tendo a certeza absoluta que tao, continuam a perguntar. Sao aquelas maes ou namoradas que nos perguntam de cinco em cinco minutos "Tu amas-me nao amas-me?". Eu também gosto muito destas pessoas, porque sao mais naturais, humanas, espontaneas. Sao pessoas no seu estado puro, quase infantil por vezes. Sao as pessoas que fazem o beicinho, as birrinhas fofinhas, aquelas expressoes faciais pelas quais muitos de nós já se apaixonaram perdidamente. Sao pessoas muito especiais. Gosto muito delas. Só que infelizmente hoje vivemos numa coisa chamada Sociedade. Eu pessoalmente nao curto e até já pensei comprar uma ilha só para mim. Só que depois sentia a falta dos meus amigos, e por isso aguento-me por cá. E nessa selva cheia de regras e puritanismos que é a Sociedade, esta espontaneidade destas pessoas acaba por ser mal vista. É demasiado dura, directa, cruel. As pessoas preferem geralmente as pessoas mais controladas. Vem nisso um sinal de educaçao, respeito. As outras sao considerados ou rebeldes ou mimados. Enfim, eu gosto de ambos os generos, sou um pouco dos dois, mas tenho de concordar que hoje é preciso saber dosear. Mesmo entre amigos. Ás vezes doi-nos ouvir coisas de pessoas que adoramos. Coisas que nao merecemos (se a outra pessoa pensar um pouco acaba por perceber o porque) ouvir mas que ouvimos por elas serem assim. Nessas alturas pensamos porque disse aquilo, porque nao foi mais paciente.
E é isso que quero dizer. Estamos entre amigos, ninguem é perfeito, e ás vezes dizemos coisas que nos arrependemos, ou que estao fora do contexto ou que foram mal percebidas. Nesses casos nao disparemos logo. Estendamos o braço e perguntemos entao: "que querias dizer com isso amigo?". O nosso amigo sorrirá, e explicará. No final evitam-se muitas confusões assim e todos vamos para a cama felizes com nós próprios e com a vida

MLP

PERFEIÇAO? QUE PERFEIÇAO? 

"Nobodys is perfect". É com esta excelente tirada que termina a maior comédia da história da 7º arte, realizada em 1959 por Billy Wilder, de nome Some Like it Hot (Quanto Mais Quente Melhor). E no fundo esta frase resume muito do sentido da vida. Aqui andamos nós, muitos de nós pelo menos, em busca da perfeição.É a altura perfeita, o peso perfeito, o corpo perfeito, as medidas perfeitas, o corte perfeito, o carro perfeito, o emprego perfeito, a miuda perfeita, a vida perfeita. Mas que é isso de perfeição? Isso existe por acaso?? Nem Deus, que é Deus, conseguiu que o seu mundo fosse completamente perfeito (criou o Homem que deu cabo disto tudo) e queremos nós ser perfeitos em todas as pequenas picuinhices da vida. O golo perfeito, o filme perfeito, a noite de sexo perfeita.....
Enfim, todos queremos o que nao podemos ter. Chega de tentar alcançar esta quimera da perfeiçao. Toca a olhar para nós próprios, para dentro de nós. Esqueçam essa treta do perfeito e concentrem-se em voces. Todos, todos, temos as nossas manias, que muitas vezes derivam dessa tal ideia de perfeiçao. Acabou isso! Há quem magoe os amigos por causa dessa mania. Há quem nao saiba parar, há quem nao olhe a meios para obter fins, há tanta coisa. E tudo por algo que nao existe. Digo-vos já, o que importa na vida somos nós e as pessoas que amamos. É o próximo, é o mundo, nao sao as medalhas no quarto, a lista no diario com o numero de mulheres com que já se dormiu, os diplomas, e toda essa parafernália que criamos á nossa volta para dar a ideia que temos sucesso. Foda-se o sucesso, fodam-se as medalhas e toda essa treta. Sucesso é olhar para os meus pais e ver nos olhos deles a alegria de me terem como filho. Sucesso é ver os meus grandes amigos dizerem tao bem de mim, quando se calhar nem mereço. Sucesso é brincar, pular e saltar com os meus irmaos como se tivessemos 10 anos, sinal que ainda sei ser criança. Sucesso é que os meus amigos nao se esqueçam de mim e me mandem mensagens e toques. Sucesso é tudo isso e nada mais. Há quem queira o Mundo. Eu mesmo já o quis, já o desejei, já sonhei com ele. Mas quem o quiser que fique com ele. Deixa-me ficar com a vida que tenho e da qual nao abdicarei, porque é o que me faz mover..

MLP

sexta-feira, agosto 08, 2003

Para o meu Amigo Miguel 

So vim cá escrever, porque pediste...pois sabes k isto não é o meu forte.
Letras não é comigo...sabes que sou mais desportista do que jornalista.
Entao vou falar um pouco de ti.
Considero-te o meu melhor amigo e acho que sabes isso. Já nos conhecemos à muitos anos e fomos grandes amigos desde o incio. Espero que assim continue. Acho que nunca nos chateamos a sério, o que significa que nos entendemos bem.
Tens as tuas birras de vez em quando e as tuas manias e quando metes uma coisa na cabeça é dificil de ta tirar.
Mas tambem tens coisas boas...és um amigo verdadeiro e deste muita força neste ultimos dias (mesmo comigo a dizer-te que nao ia conseguir tirar aquela nota).
Sempre foste bom aluno e se não te tivesse ao meu lado nas aulas, se calhar ainda andava a fazer Historia...obrigadinho!!!
Pronto, foi o que se pôde arranjar.
Peço desculpa a ti e aos teus futuros colegas jornalistas que lerem isto por algum erro que tenha cometido, mas como ja disse no inicio escrever não é comigo.
Mas ficava contente que daqui a uns anos escrevesses tu sobre mim. Era sinal que tinha feito algo de importante e que tu tambem estarias num bom jornal.
Daqui a uns anos veremos se isso acontece
Um abraço pra ti e para os teus amigos que lerem isto, e dois beijinhos para as tuas amigas...
E ve se arranjas alguma rapariga que seja mais do que uma simples amiga. Andas muito romantico e nao tens com quem partilhar esse romantismo...ainda explodes!!
Um abraço Amigo!!

Vitor Zenha

MIGUEL LP FOTOLOG 

Sim, apesar de nao ser muito publicitado aqui no fotolog, a verdade é que eu também tenho um fotolog. Depois de um periodo de grande marasmo, como fotos que acabei por eliminar, agora o fotolog está completamente renovado e espero actualizado diariamente, até porque tenho fotos novas, que segundo algumas pessoas, estao porreiras. Enfim, um novo look para mim, um novo look para o fotolog, e quem sabe, um novo look para O Por do Sol.
Se quiserem visitar o fotolog o hiperlink está aqui no Por do Sol. Podem comentar á vontade e se tiverem fotos que queiram ver lá é só mandar. Eu pelo menos, gostaria de ter lá fotos de grandes amigos meus. Já lá estao alguns, faltam outros...

MLP

FELICIDADE 

Eu queria mandar nisto tudo. Sabiam? Pois!!! E a primeira coisa que eu faria se mandasse nisto tudo era....(oiçam o rufar dos tambores, a expectativa do povo, a ansiedade dos jornalistas)::::::: Era que todos pudessem ser, pelo menos uma hora por dia, FELIZES, FELIZES, FELIZES
Yep.... Nao há nada melhor que ser feliz. É tao bom, e tao fixe, e tao porreiro, e tao curtido e tao tudo. É fora de série. Tar assim sem fazer nada a olhar para o tecto com um sorriso (que a muitos parece parvo, mas nenhum sorriso é parvo) lindo..;-) Tar deitado no sofá a ouvir musica sem parar, musica de dança, musica brasileira, portuguesa, inglesa, americana, marciana, quero lá saber (A propósito, as noites da Rádio Nova tao lindas)... Tar a falar com os amigos!!! Tar em paz com o mundo!!!!!! Sorrir, rir, sorrir, rir, sorrir, rir.
Nao acham? A sério, nao acham que isto devia ser obrigatório??????? Eu acho. Tou a sentir tudo isto e mais alguma coisa e quando olho para os outros, aqueles tipos mais sérios e taciturnos (como eu sou normalmente, infelizmente) penso: quem me dera ter o poder de lhes transmitir um pouco disto tudo. Tou mesmo a ver. Os olhos a ganharem um brilho extra. A roupa, escura e feia, torna-se alegre e curtida. O curvar das costas a desaparecer, trocado por um passinho de dança. Enfim....todos deviamos ser super-hiper felizes...
Por isso tejam bem atentos. Quando eu mandar nisto tudo vai ser assim.........Hereux, happy, feliz!!!!!!!!!!!

Muitos devem tar a pensar. Pronto é desta que o tipo se passou. Fechem o raio do blog que ele vai a caminho do Magalhaes Lemos. Outras devem tar já a imaginar o porquê de tudo isto! Bem, nao há porques e mais porques. Há apenas a vida, o dia a dia, o chilrear dos passaros, o sorriso de uma criança ao comer um gelado, a felicidade no olhar de dois namorados que se bejam timidamente mas de forma apaixonada, a esperança no olhar de um daqueles GRANDES HOMENS que sao os emigrantes de Leste que eu adoro e venero por serem tudo o que eu nao sou mas devia ser. Enfim, tudo isto me faz uma pessoa melhor, um homem mais feliz. Tudo isto e outras coisas mais. Mas essas ficam comigo, bem cá dentro, pelo menos até segunda ordem

SEJAM FELIZES!!!!!!!!É UMA ORDEM........
MLP

quinta-feira, agosto 07, 2003

EXCERTO DO "PRINCIPE DE PORTUCALE" 

Como vos prometi aqui vai um pequeno excerto do Principe de Portucale

"Leonel não acabou a frase. Nessa altura surgiu a cavalo o alvo de todos comentários. Assim que viu os mercadores, Alexandre saltou de imediato do seu cavalo branco. A sua figura era de facto imponente. O título de Príncipe assentava-lhe bem. A sua majestade estava bem à vista. Era muito jovem, mas com uma expressão de homem bem vincada na face. Muito alto, mais de um metro e oitenta e cinco de altura, tinha apenas setenta quilos o que noutro homem acabaria por ser desproporcional. Em Alexandre não. A sua figura transparecia uma excelente preparação física, conquistada em muitas caçadas e duelos. Os seus cabelos longos e escuros, acompanhados de uma ténue barba, eram a sua imagem de marca de há muitos anos. Os seus olhos verdes tinham um tom pouco usual nestas paragens. Por vezes pareciam alheados de tudo, mas quando se encontravam frente a frente com alguém, eram de tal forma poderosos, que quem o olhava simplesmente tinha de desviar o olhar. O Príncipe vestia de azul, a sua cor. A camisa era bordada nas mangas por umas tiras douradas de seda e uma resplandecente capa branca cobria-lhe as costas. Depois de observar os três homens, Alexandre prendeu o cavalo a uma pedra e dirigiu-se a eles saudando-os:"

MLP

quarta-feira, agosto 06, 2003

ALVALADE XXI 

Foi hoje a inauguraçao do novo estádio do Sporting Clube de Portugal, infantilmente baptizado de Alvalade XXI. A equipa leonina teve como convidado de honra o Manchester United. Os ingleses pareciam nao querer estragar a festa e jogaram em sub-rendimento. Quem se aproveitou foram mesmo os da casa que venceram categoricamente por 3-0 com Luis Filipe a ser o primeiro marcador no novo estádio e Joao Pinto a bisar. A grande figura do jogo foi mesmo Cristiano Ronaldo que ficou com o papel de Ricardo Quaresma como o diamante da equipa.
A festa continua num dia triste para o país que continua a arder

MLP

Adeus título 

Hoje tou com fome de blogar

Viram no Domingo o GP da Alemanha. Pois, eu tambem!!!!!! Viram como aquele porreiro do Ralf arrumou com o Raikonnen? Isto é que é ser um bom irmao. Eliminar um candidato ao titulo para facilitar a tarefa do Michael. E ainda o vao penalizar. Dem-lhe uma medalha das grandes. Viva o Ralf!
Mas o Michael aproveitou? Atacou? Ganhou ou fez alguma coisa para ganhar? "Nestum" como diria o meu irmao. Teve o GP todo atrás dos Renault e milagre, a dez voltas do fim atacou, quando já quase que levava uma volta do Montoya. De castigo teve um furo e acabou em 7º. Acabou ele em 7º e acabou para nós o título que parecia tao real na pré-época. E vai ganhar o raio do colombiano que além de nao saber conduzir me faz lembrar o Senna, aquele assassino do asfalto (GP do Japao 1990)!
Enfim, a todos os Ferraristas, este é um momento de luto.Choremos pelo BiTri perdido. Depois do FCP agora é o Schumy que falha a chapa 6

Miguel LP

O PRINCIPE DE PORTUCALE 

Lembram-se que eu dizia que tava a pensar em escrever um livro?
Pois bem, ele avança a bom ritmo.Já cheguei à mitica página 100, a primeira grande barreira a ser ultrapassada. Para já tou a meio de 8º Capitulo, do que deve ser metade do livro, e acho que tá a sair bem. Consegui escrever coisas que pensei que nao seria capaz. Afinal sou melhor do que pensava. Da proxima deixo-vos um pequeno excerto para voces puderem comentar. Ah, a historia vai ter surpresas em relaçao à minha ideia original. Algumas bem porreiras mas nao vos digo. Depois lêm.

Bjs e Abraxos

MLP

VERGONHA 

Pois é pessoal. Cumpri! "Im Back"
Voltei e voltei triste. Como sabem,e quem nao sabe devia saber, vim de uma peregrinaçao à Serra da Estrela, algo que faço todos os Verões desde que por cá ando. E voltei triste porque vi tudo a arder. A arder pá! Imaginem estar no terraço de vossas casas a ver o horizonte em chamas. É péssimo. Pelo menos o sítio onde estava nao foi muito atingido e ninguem esteve em perigo mas outras pessoas estiveram. Aliás, sei como eles se sentem porque eu próprio já cheguei a estar cercado pelas labaredas mortais. Imaginem só que o sitio mais bonito de Portugal, o Rossim, o meu refugio, tá em chamas. Pode? Claro que nao. Tou furioso. Se pudesse apanhar os tipos que fazem isto (nao sao os maluqinhos que eles metem lá a fazerem passar-se por culpadas, mas sim os mafiosos dos bombeiros, das piscinas, da industria de aviaçao...) juro que os fazia tomar do seu veneno. Nao só estao a matar animais e pessoas, a destruir casas e lares como estao igualmente a destruir o património nacional mais precioso que temos....Nao pode ser..
Por isso tou triste!!!!!!!!!!!! Triste com o meu país e com quem nele vive!!!!!!

MLP

This page is powered by Blogger. Isn't yours?