<$BlogRSDUrl$>

sábado, junho 28, 2003

CONFISSÃO

Muitos querem saber para que serve um blog. Uns dizem que é para troca de mensagens entre amigos. Outros falam em narcisismo dos seus criadores. Enfim, há milhões de possibilidades. Hoje O Por do Sol vai servir para que um cobarde fale (ou escreva). Vai servir para serem ditas coisas que nunca o foram mas que merecem ser conhecidas dos Himalais ao Amazonas. Vai servir para eu gritar pelo ciberespaço o que grito pela janela do meu quarto...

EU AMO...EU AMO...EU AMO...EU AMO...EU AMO...EU AMO...EU AMO...EU AMO....EU AMO...OUVIRAMMMMMMM

Sim!!!!! Estou farto de sermões. Estou farto de censores. Estou farto de teóricos. Estou farto daqueles que dizem que sou muito jovem para saber o que é o Amor, o VERDADEIRO AMOR. Estou farto de todos aqueles que me mandam parar quando eu quero é correr sem parar. Daqueles que me seguram quando me quero atirar de um precipicio. Daqueles que me alertam para mil perigos quando o que eu quero é ser esquartejado por milhares de sabres em chamas. Porque estou farto. Mil e uma vezes farto de tudo isto. Estou farto de ter de esconder para mim o que quero que todo o mundo saiba. Estou farto dos códigos de ética, morais, civilizacionais e da porcaria da sociedade em que vivemos, onde há que, acima de tudo é preciso manter as aparências, as malditas aparências quando o que interessa é o que está dentro de nós.
Não, definitivamente não andei a beber. Simplesmente estou Embriagado de Amor. Nao, nao foi desta ainda que enlouqueci, mas perdi a razao, e perdia ao contemplar algo que me ultrapassa, que nos ultrapassa a todos. Nos últimos meses já morri e rescuscitei milhares de vezes. Já vi o céu e já acordei no Inferno. Já chorei tanto que pensei que iria inundar o mundo mas também já tive sorrisos que quase me rasgavam a cara. Enfim já fui o homem mais infeliz do mundo mas também já fui o mais feliz. E nao é isto o amor??????????Digam lá!!!!!!!!!!!!!!! Nao acreditam por ventura que o amor é só para as coisas boas, só para os beijinhos, os abraços, as confissões, as noitadas.........O amor é como o casamento, para o melhor e para o pior!!!!! E eu amo, amo para o melhor e para o pior. E nao me limito a amar. Amo algo tao belo e tao perfeito que torna a palavra beleza ridiculo. Amo alguem que é tao espectacular, que até quando faz beicinho e se chateia por picuinhices continua a ser a razao da minha existencia. Alguem que me pode bater, insultar, gozar, desprezar ou ignorar, que eu nao quero saber. Até Dezembro para mim o mais importante era a HONRA e o ORGULHO. Ouviam-me discursos machistas e snobs. Isto antes de ter conhecido esta mulher. Eu quero gritar o nome dela aqui mesmo, mas nao sei se ela deixa. Nao sei..... Ela foi alguem que eu já tratei mal, e por isso juro que me quis matar, mas é alguem a quem eu ja dei o meu coraçao. Faz dele o que quiseres, é todo teu para sempre. Ela é tudo. Ela é tudo. Ela é tudo. Tudo para mim. Ela pode ter mil namorados e uma lista de espera de milhões. I don´t care. Ela pode transformar-se na mulher mais feia do mundo. I don´t really care. Ela até pode ser do Benfica. Nobody´s perfect. Mas eu nunca deixarei de gostar dela. Para ela escreveria uma epopeia se soubesse. Faria um filme se alguém me explicasse como. Comporia uma canção se conseguisse. Mas já que nao posso fazer isso, até ver, vou fazer o que sei. Dizer mais uma vez o que ela significa para mim: Tudoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo.
Querida eu adoro-te. Posso morrer sem nunca ter-te abraçado, beijado, sem nunca ter feito parte da tua vida mas nao me importo. Posso morrer só, abandonado por todos, sem mais ninguem a meu lado. Nao quero saber. Porque eu nasci quando te vi e é só porque respirar que existo. Mais nada, absolutamente mais nada....
I LOVE YOU
Como te disse um dia
"I WAS BORN WHEN YOU KISSED ME, I DIED WHEN YOU LEFTED ME AND I LIVED A FEW WEEKS WHILE YOU LOVED ME........."
Ou seja, tu es tudo, eu nao sou nada. Gozam-se por me apagar diante de ti, parece estranho aos homens e mesmo ás mulheres que isso seja possivel. Que o amor faça uma pessoa querer desaparecer diante de outra. Mas é assim que eu me sinto. E por isso continuarei a viver. Só mais um pouco....

a todos um abraço, a ti um beijo mesmo que nunca o queiras.......

MIGUEL LOURENÇO PEREIRA
PS: Este post nao é comentável. Ouviste Duarte! E este conselho é para ti. Ama alguem como eu a amo. Pode ser que cresças e essas manias de filosofia bacoca passem. Amar é lindo........

quarta-feira, junho 25, 2003

Agora temos ideologia?

Sempre pensei que o nosso blog O Por do Sol fosse de livre expressão e não mostrasse nenhuma politiquice barata. Mas ao 20º dia da sua criação, parece-me que isto começa a ficar mais politizado. Se assim queres Miguel, assim seja. Ainda bem que pelo menos a ideologia emergente no blog é de esquerda. Ao menos isso.
Preparai-vos, agora, para o começo de discussões políticas interessantes. Um dos primeiros textos políticos que vamos por - em breve - neste blog será um manifesto contra as opções camarárias da Camara Municipal do Porto, governada por Rui Rio. Preparem-se para uma explosão, declarando-me desde já contra a maior parte das políticas deste senhor, que pensa de menos e faz demasiadas coisas mal.

Um abraço
Duarte SD
UM BLOG DE ESQUERDA

Depois de fazermos 20 dias está na altura de um pequeno balanço.
Conseguimos alargar o número de participantes mais do que esperávamos. Estabelecemos laços de amizade com outros blogs. Lançamos polémicas e discutimos assuntos. Agora há que continuar...
Para tal neste 20º dia do O Por do Sol eis uma revelação bombástica. Seguindo a "luta" dentro da blogosfera entre blogs de direita e de esquerda, e após o desaparecimento da célebre Coluna Infame está na altura de deixarmos de ser Não-Alinhados. Sendo assim O Por do Sol revela abertamente ser um blog de esquerda. Um blog de pessoas de esquerda para pessoas de esquerda. Porque ser de direita é ter um cifrão no lugar do coração. Nós preocupamo-nos com o próximo e com todos e queremos fazer arrancar Portugal. Por isso é com orgulho que abro ao debate ideológico direita-esquerda este blog, um blog de esquerda como deve ser!!!!!!!!
Além de não vir ao São joºão, parece-me que o nosso Miguel anda a ler muito as aventuras do Tintim. Isto dos tres filhos parece-me a estória dos tres irmãos unidos do album «O segredo do Licorne».
Um abraço
Duarte SD

terça-feira, junho 24, 2003

ELE VEM A CAMINHO.....

Tres homens para um trono. Tres filhos para um pai escolher. Tres principes querendo ser reis....

também é disto que vive o livro do autor deste blog...

Miguel LP

sábado, junho 21, 2003

A LUTA ENTRE GAIA E O PORTO

Até à uns anos dizer-se que se era de Gaia não era normal. À resposta de onde és (ou de onde teclas como se diz nos chats) a resposta do gaiense era sempre: do Porto. Até se chegou a pensar criar uma grande cidade, uma espécie de Portucale, uma parolada enfim... Mas algo tem vindo a mudar. Gaia, que é já a 3º cidade do país em termos populacionais, tem vindo a conquistar a sua identida, e a pouco e pouco, a afastar-se do domínio macrocéfalo da Invicta. Muito disto se deve ao empenhamento de Luis Filipe Menezes. A sua tenacidade e ambição levaram a que a cidade se dinamizasse. Eu vivo em Gaia e sei do que falo. É verdade que as obras abundam mas sem obras não há progresso e essa é a verdade. A abertura do Cais de Gaia, a revitalização da ribeira gaiense, das praias frente ao Atlântico ou mesmo da zona mais central da cidade é a prova que Gaia está bem viva. E poderia estar de mãos dadas com o Porto se não fosse o duelo Menezes-Rio. Menezes é ambicioso, pretensioso, mas é acima de tudo competente. Rio é lunatico, pouco inteligente e elitista, além do que não tem obra. As promessas que fez esvairam-se tenuamente. Iam deixar de haver arrumadores senhor Rio? Pois, pois. A guerra ridicula que o Presidente da Camara do Porto comprou com o FC Porto, a maior instituiçao da cidade, é a prova da má gestao de Rio. E assim o Porto nao vai a lado nenhum. E arriscasse a ver Gaia crescer, e crescer e crescer. Só quando o Porto deixar de ter Gomes e Rios é que a cidade voltará ao dinamismo que a caracterizou desde sempre. Até lá o Porto estagna e Gaia vive a sua juventude....

Um abraço portuenses, gaienses, portugueses e cidadãos do mundo
Miguel LP

sexta-feira, junho 20, 2003

O Santo Folião está a chegar

Já falta pouco tempo para o grande Miguel fazer a sua estreia numa noite sanjoanina. Posso aqui afirmar que não duvido que ele terá uma experiência única na sua vida. O São João é alegria, é riso, é alegria. E é disso tudo que precisamos, agora que as aulas estão a chegar ao fim.

Um abraço... a polémica continua...
Duarte SD
eu hein! vem aki uma pessoa a pensar escrever sobre alguma coisa interessante e k faça pensar realmente e encontra um tema destes! hei, almofada, k tal introduzir aki o texto de imprensa com o seu titulo "rapiokeiro"????lololol
ja agora, almofada, bigada por me teres ouvido... bigada mesmo... fez-me muito bem descarregar a minha raiva contra o mundo e o meu coração hoje a noite...
boa sorte pa nós amanha no exame de radio!
Gilly

quinta-feira, junho 19, 2003

Ha melhor tema que o da cidade, da região em que vivemos? Boa escolha Duarte. O próximo escolho eu....

Bem, Porto, Porto, Porto. Vou falar entao da minha cidade. Cidade onde nasci mas onde nunca vivi. Cidade que conheço e adoro mas que ainda está muito longe do que poderia e deveria ser. O Porto, apesar de bonito, podia ser mais. Podia ser uma verdadeira metropole. Só que faltam ideias e fundos para esta ideia.
Quando era pequeno sonhava em ser rei. E o meu reino seria apenas do Mondego para norte, e escusado será dizer que a capital seria a Invicta. Mas a Invicta dos meus sonhos está muito diferente do que temos hoje. O Porto de hoje nao é muito seguro. Há uma desorganizaçao urbanistica que até mete impressão. Abudam bairros perigosos para os outros cidadãos. O centro da cidade é um deserto nocturno. O metropolitano nunca mais está sempre. Há sempre mais um buraco para abrir em algum canto. Enfim, o Porto é uma cidade portuguesa nao há duvida.
Mas mesmo assim prefiro mil vezes o Porto á capital. Porque no Porto há mais relaçoes humanas. As pessoas preocupam-se umas com as outras. A camaradagem impera. O mesmo nao se passa lá em baixo em Lisboa. É esse Porto popular, trabalhador, o centro moral, intelectual e laboral da naçao que eu aprecio que quero revitalizar. É verdade que ainda somos gozados como provincianos, bairristas, e coisas do género. Mas mil vezes provinciano (nao no exagero como tu Duarte) e bairrista do que abdicar dos valores da minha, da nossa, da vossa cidade. Por isso viva o Porto............
Um abraço
Miguel LP

quarta-feira, junho 18, 2003

O NOVO TEMA DE DEBATE

O tema que decidimos escolher, devido às comemorações sanjoaninas que se aproximam, é sobre o Porto (cidade e, claro, clube) e a região Norte. Para mais informações vão ao weblog irmão deste, o Ideias e pensamento, para terem uma mellhor ideia do assunto!

Um abraço
Duarte Sousadias

terça-feira, junho 17, 2003

ACABOU O AMOR............

Depois de vários dias em que andámos por estes lados a discutir o amor, está na altura de mudar. Já todos nós opinamos. Já todos nós discutimos. Já todos nós chegamos a variadas conclusões. Enfim já todos nós amámos...
Agora está na altura de mudar. O novo tema será apresentado pelo Duarte num texto bastante incisivo. Esperamos por ele. Até lá todos aqueles que escrevem no O Por do Sol puderão versar sobre outros temas!
Até lá então amigos

MIGUEL LP

ACABOU A RAMBOIA E O REGABOFE

A polémica foi bonita mas está na hora de terminar. Duarte, Marian, Ivo, pessoal do Por do Sol, vamos lá acabar com isto.
Cada um tem as suas ideias e pensamentos, cada qual tem o seu ponto de vista e cabe a cada um de nós respeitar os outros. Temos de ser companheiros. Façamos como o Adao que nao comentou ninguém. Apenas disse o que sentia. E é muito bom....
Assim, para que não passe a ideia de polémica dentro do seio deste grupo de amigos, digo que todos nós estamos em desacordo, mas a um desacordo saudável e que continuará em outros temas, pois urge arranjar um novo, e isso será sempre a nossa imagem de marca.
Peço-te uma coisa SD. Deixa de versar sobre aquela mulher, que agora até elogias quando antes não o fazias. Já te disse que está morta, enterrada e o funeral já foi à um tempão. Preocupa-te com os vivos, deixa lá os mortos. E ela, ela e todos sabem quem é, "est mort"!
Começo a ver o nosso blog subir. É cada vez mais respeitado pelos blogger´s, a que nao está alheio o facto de albergar alguns dos mais talentosos escritores deste curso. Mas não chega. Sou como um treinador ávido. Quero reforços. Quero-te a ti. Por isso manda um mail com textos (e diz quem és e como te contactar) para Idyops@hotmail.com ou então MiguelPereira8@hotmail.com!
Vamos fazer deste blog, o melhor blog do Curso de Jornalismo pessoal
UM ABRAÇO DAQUELES A TODOS OS MEUS AMIGOS EM ÉPOCA DE EXAMES
MIGUEL LP
Para acabar de vez com uma polémica imbecil ou Aquilo que vocês não entendem

Nunca pensei que o texto que escrevi sobre as mulheres no O por do Sol fosse criar tanta polémica. E pior: nunca julguei que ele fosse mal compreendido por muita gente. Tive até a surpresa de, numa manhã de aulas – às 8h00 – ser confrontado com uma rapariga minha colega, na qual eu nem sequer pensei ao escrever o texto, perguntando-me se eu me estava a referir a ela. Meu Deus, e eu que pensei que as pessoas tinham o mínimo de senso para compreenderem certas ideias, certos pensamentos. Como é que eu poderia escrever algo contra essa mulher, que é uma das pessoas que eu dentro da faculdade mais gosto? Atenção, este é só um exemplo entre muitos.
Para melhor compreenderem esta minha resposta, que espero que definitivamente encerre esta polémica da qual me fartei, irei comentar as passagens que mais achei inexactas dos textos do Miguel e da Gilly. Começo pela ordem cronológica, ou seja, pelo texto da Marian (ou Gilly, não interessa). No texto Por falar em homens! Ela «exalta-se» com o meu «texto». Diz que eu tenho uma «visão minimalista da relação a dois». E, em seguida, começa a acusar o Homem (atacando-me quase directamente a mim) de fugir às suas responsabilidades perante a mulher. Ora, eu não penso bem assim. Eu acredito na mulher também. E talvez parte do que eu diga seja uma reminiscência de desilusões que tive com algumas. Eu nunca, no meu texto, generalizei o termo putas à maioria das mulheres. Isso seria ofender a minha mãe, por exemplo, o que é o mesmo que auto-ofender-me. Outra coisa minha amiga, se eu engravidasse ou batesse numa mulher não fugiria às minhas responsabilidades. Primeiro, se eu tivesse um filho não esperado, tratá-lo-ia o melhor possível. Ele seria, a partir daí, a pessoa mais importante da minha vida. E tudo o que eu lhe pudesse dar, daria. Segundo, bater numa mulher é para os cobardes. No dia em que eu batesse numa mulher, fosse namorada ou esposa, sentir-me-ia desonrado de ser gente, de ser homem. O homem, se assume um compromisso – seja namoro ou casamento ou qualquer outra coisa – deve cumpri-lo. E deve tratar a sua companheira como algo especial. Eu sei que vocês, mulheres, também têm sentimentos. Dos mais nobres. Agora, não pensem que nós não sonhamos. Também gosto de viver as coisas especialmente, dar-lhes um sentido mágico. Acabaremos por morrer, como é natural no grande círculo da vida. Por isso, acredito que a nossa vida deve ser bela e idealizável.
Tu acreditas, amiga, que terás alguém que será a tua «anima». Eu não acredito porque o meu coração já pensou que a encontrou mas desiludiu-se. Já foi há algum tempo, ainda não vos conhecia. Ainda via a faculdade como algo um pouco distante. Nunca estive apaixonado, é certo – ou se estive, então não sei o que é amar, mas espero aprender – mas pensei que em pouco tempo isso se resolveria com uma companhia, com uma mulher com quem podia contar. Gostava de a ter abraçado mais vezes. Este foi o nosso contacto mais próximo. Nunca a cheguei a beijar. E talvez tenha sido esse o meu erro. Mas a vida é para a frente. E se eu sou pessimista, tenho que buscar esperança para encontrar alguém (não de família) que eu ame e que me ame. Que seja a minha alma gémea, a companheira inseparável pela qual valerá a pena viver.
Agora, este parágrafo será uma espécie de introdução ao texto do Miguel. Mas dirige-se a todos aqueles que me conhecem, ou que de mim fazem uma vaga ideia, ou mesmo o navegador da web que por acaso aqui aportou. Quando li o texto dele, em que faz referencia às «mansões», uma ideia da Edite, lembrei-me de Kafka. No seu livro O processo, a determinada altura, um padre conta à personagem principal do romance, Joseph K., que um camponês foi à cidade procurar a Lei. Quando lá chega, encontra um enorme portão guardado por um corpulento guarda. Não o deixa passar. O homem pergunta-lhe quanto tempo terá que esperar até poder entrar. A qualquer momento, diz-lhe o guarda. Mas avisa também o fraco camponês que, se pela força ele tentasse entrar, ainda teria que encontrar, até chegar à Lei, muitas portas e guardas cada vez mais fortes. O camponês deixa-se ficar por ali. Passam-se os anos. Tenta, enquanto envelhece, subornar o porteiro, que lhe continua a dizer que a hora de entrada ainda não chegou. Mais anos passam. E quando o Homem está a definhar, «o porteiro reconhece que o homem já está perto do fim e, para alcançar o seu ouvido moribundo, berra: “Aqui, ninguém, a não ser tu, podia entrar, pois esta entrada era apenas destinada a ti. Agora vou-me embora e fecho-a”.». O romance incompleto O castelo, também de Kafka, apresenta a mesma problemática.
À luz das relações humanas, seja com o nosso ou o sexo oposto, sinto-me muitas vezes não perante «mansões» mas castelos. Ou seja, fortaleza intransponível, que no fim se revela, quando já é tarde, simples de conhecer. É muitas vezes essa a relação que eu sinto que as pessoas têm comigo. Pior, é essa a relação que eu tenho com elas. Eu também sou um castelo. E não sei quando alguém me quer dizer algo, e eu não a deixo. Há anos, uma amiga disse-me que eu era «frio, insensível e calculista». Mais tarde, veio-me dizer que eu era assim porque talvez me quisesse proteger. Entretanto, cresci mais um bocado, e não sei se algumas muralhas do castelo caíram, este meu castelo que dentro de mim existe, ou se muros mais altos se levantaram.
Isto, Miguel, é uma introdução à resposta que os teus textos vão ter. Quando leres tudo, reflecte um pouco não só sobre «mansões» e vivendas mas também sobre «castelos». Eu nunca fui violento, no meu texto, com a Mulher. Fui com algumas mulheres. Eu sei que na minha turma tenho mulheres «lindas de morrer». Edite, a morenita gira que apetece estar sempre a abraçar, a Mariana, uma bonequinha fofa e muito, mas mesmo muito, amiga do seu amigo, a Rita, que sabe o que eu penso dela (a mulher mais femininamente masculina que eu conheço) e tantas outras… não só na turma, como no 1º ano e fora dele. Elas merecem-me todo o respeito. Mais, também respeito a Paula, coisa que tu não me parece que faças muito ao escreveres sobre ela nos nossos blogs. Mas sobre essa rapariga escreverei adiante, na altura certa.
Putas. Usei este termo para algumas mulheres. Não para aquelas que atrás referi. Podem-me fazer o que quiserem se eu um só dia, um só momento, faltar ao respeito a qualquer uma dessas mulheres. Gosto imenso delas. E gostava que elas soubessem que, sempre que precisarem deste «castelo», seja em que situação for, aqui estarei. Além disso, acho que andas a mostrar demais os teus sentimentos. Reconheço que também tens queda para a poesia. Mas não precisas de exagerar. Se estás ferido, podes-te curar. Se caíste, tens que te levantar. É esse o destino dos fortes. Não o dos fracos. E a vida, essa, «precisa de nós…». Força camarada. Foi bom amares uma mulher. Ficaste mais experiente. Mas não te podes deixar abater.
O teu segundo texto foi pior. Começaste a entrar por campos onde nunca foste chamado. Os teus comentários já não eram ideias, mas deduções de certas palavras que eu disse. Não me compreendeste. A culpa foi minha, talvez, por eu ser um «castelo» e não uma «mansão». Eu, como atrás referi, nunca disse que a Mariana, a Edite e qualquer outra mulher que eu conheço desde o primeiro dia da faculdade se incluem no grupo das putas. Isso é impossível, porque, para além de acreditar na beleza física e espiritual delas, as conheço à muito pouco tempo. Nunca as incluirei, de certeza, num grupo de mulheres que eu não gosto. Serão, espero eu, minhas amigas, e elas podem contar sempre comigo. Outra coisa, tu dizes que eu nunca gostei da Paula. Isso é impossível. Eu raramente falei com ela. E, como já te disse, eu não posso dizer que não gosto da Austrália, ou mesmo do Algarve, porque nunca fui a esses sítios. Como posso ter dito que gosto ou não de uma pessoa que quase não conheço? Fica aqui dito. Não tenha nada contra a Paula. Aliás, se ela se dá bem, como já reparei, com uma rapariga como a Edite ou até a Mariana ou a Raquel é porque não pode ser funesta. Acho isso até impossível. Funestas são as mulheres do Oliveira, o nosso realizador. Mas isso são filmes, e eu estou a falar da vida real. Se ela é real.
Acabo fazendo minhas as tuas palavras Miguel. Para vós meus amigos e amigas vive este «castelo». Entrar nele pode ser difícil, até uma desilusão. Mas talvez uma mulher um dia consiga entrar nele. E amar-me, coisa de que eu talvez ande necessitado. A vida tem sido um pouco solitária. Mas espero encontrar a minha princesa no caminho. A princesa que me levará a dizer, «já não estou só». A muralha cairá então.

Um grande abraço para ti Miguel
Beijos especiais À Mariana (Gilly)
E para todos os que lerem este texto, um abraço ou beijos – conforme o sexo – muito fortes, de amizade…

Duarte Sousadias

OLÁ PESSOAL !

Neste blog muito se tem falado de mulheres e de amor. Não querendo fugir à regra também vou reflectir um pouco acerca desses dois temas. Sei perfeitamente que corro o risco de criar o parente pobre de todos os textos já escritos no por so sol, mas isso nao me preocupa, já que, a regra numero 1 para sermos felizes é gostarmos de nós proprios e dakilo k fazems. Isso nem sempre é possivel mas nao custa nada tentar...
Afinal o k é amar alguem? Amar é mais do que uma simples paixao ou atracção. Para amarmos alguem temos de gostar ate dos seus piores defeitos; amar é saber k somos o centro da atenção de alguem; amar é ir para casa a pensar dos 2 segundos em que falamos com a pessoa amada; e tantas outras coisas. Mas fazendo minhas as palavras do Duarte, existem outras coisas na vida que também merecem ser salientadas, e a familia é uma delas. Muitas vezes amamos quem nao o merece, e o barco naufragado que dai resulta, só encontra o porto de abrigo na familia e amigos. Por falar em amar quem nao merece, lembro-me agora da brilhante historia das mansoes e das vivendas do Miguel. Tens toda a razao, o que é uma mansao para nos pode mt bem nao ser para outra pessoa, e nós proprios podemos ser uma mansao para alguem sem o saber (se bem que tou a ser demasiado optimista.lllooolll).
Mas voltando ao amor, quando sentimos esta verdadeira doença a apoderar-se de nós raramente conseguimoos ser racionais e esse é um grande problema, prk se as mulheres conseguem pensar com os pes assentes na terra (algumas) nos ja nao o fazemos e as vezes atiramo-nos de cabeça - morte certa. Apesar de tudo caro Miguel há algo em ti k valorizo bastante e k é a tua capacidade de demonstrares á pessoa de kem gostas akilo k sentes, ou seja, jogas nos limites, pisas o risco... Isso é uma grande vantagem acredita.
Será k numa vida tao cxurta como é a nossa, devemos sofrer por amor??? Talvez, mas devemos evitar sofrer por kem nao o merece, e demonstra algo que nao sente verdadeiramente. As mulheres hoje em dia gostam de nos fazer akilo k lhes fizems ao longo da historia. Foram muitos anos de macho latino e de palavras ditas em vão. Em resultado disso as mulheres já não dão hoje em dia importancia nenhuma akilo k fazems para lhes demonstrar o nosso carinho. Mas a culpa é, em parte, nossa...
Apesar do Duarte ter razão em mtas das coisas k diz, há mulheres e mulheres, temos é de saber filtrar prk nem smp o k salta a vista é a realidade. Acredito no amor a 1ª vista e tb acredito no amor construido, contudo tb nao eskeço as grandes desilusoes k dai podem advir. Nunca se eskeçam k kuando se ama alguem nao é preciso estar smp a repeti-lo basta senti-lo, prk se for recíproco a chama acende-se lá por dentro...

(Amar alguem é poder dizer-lhe: "Não sei porque estudo na vida, se tudo o que eu preciso saber está na geografia do teu corpo, na história dos teus olhos e na química dos teus beijos.)

Abraxo a todos e espero em breve poder falar neste espaço sobre a amizade k é o sentimento mais nobre à face da Terra... - pelo menos nãop é tao complicado.lol.

Sejam felizes e lembrem-se k temos a missão de transformar esta vida num mar de rosas, por mt dificil k pareça.
Ivo Adão

segunda-feira, junho 16, 2003

O PORTO DE 2003?

Bem Duarte SD, eu bem queria ganhar a Champions mas não acredito muito. Nem nos próximos 25 anos o Porto terá uma temporada deste nível. Acredito sim que podemos revalidar o título e a taça e é nesse sentido, com os pés bem assentes no chão, que devemos caminhar. Os sonhos de glória deixamos aos grandes de Lisboa. Lembra-te que foi assim que vingamos na Europa e no Mundo. Espero sinceramente vencer as Supertaças (vamos ao Monaco fazer a cobertura para os nossos blog?) mas tenho dúvidas acerca da temporada europeia. Primeiro porque os rivais vão ser outros, depois porque está muito dinheiro envolvido e eu à UEFA nem um carro usado comprava. E depois por causa do nosso plantel. Hoje saiu o Capucho (graças a Deus) mas quantos outros nao poderao sair? E se for o Paulo Ferreira, o Ricardo Carvalho, o Costinha, o Maniche, o Postiga ou o mágico Deco??? É verdade que o Porto sempre viu os grandes jogadores partirem, mas esta equipa é homogéna e precisa deles todos. Nomes como Silas, Pedro Mendes, Rossato não me enchem o olho (se bem que Mourinho faz magia). Mas se mantivermos este esqueleto e podermos contar com o Benny McCarthy ou outros talentosos jogadores (e que tal o Joe Cole) então aí sim vou sonhar. Mas ainda falta tanto. E daqui a um ano já nem vamos falar disso porque o Euro vai-nos contagiar.

Até lá a gente vê-se no Estádio FC Porto, perdão no José Maria Pedroto, perdão nas Antas, perdão no Dragão...

Um grande abraço

MIGUEL LP
ULTIMA HORA

É verdade amigos. Depois deste blog, por mim criado, ter contado com a preciosa ajuda de Duarte Sousa Dias e Mariana Pinto Ferreira, dois dos nomes mais ilustres do 1º ano do Curso de Jornalismo da Faculdade do Porto, podemos anunciar que temos uma nova contratação. Trata-se de um dos membros do blog "Discuros-Paralelos" (nao se assustem fas do discurso que ele nao vos deixa), Ivo Adão. O grande e estimado Ivo Adão vai também iluminar-nos com a sua prosa poderosa. Autor de grandes ideias e textos Ivo será certamente aquela mais valia que o Por do Sol precisava. Com nomes como estes, o nosso blog começa a ganhar crédito. Daqui a pouco seremos provavelmente o blog que mais talentos acolhe.

E já agora, provavelmente contaremos com a participação daquele que eu considero como meu Mestre, uma verdadeira pessoa, o maior de todos os portugueses. Esperem um pouco para verem quem é...não deve faltar muito..

Um abraço

MIGUEL LP
O POR DO SOL TAMBÉM ERRA

É verdade. Não somos perfeitos e erramos. Pena, mas verdade....
Em primeiro lugar quero esclarecer um mal entendido que foi criado entre o meu texto do passado sábado e o blog Ninfas do Bau. É verdade que disse que o Ninfas do Bau tinha textos ridículos. Mas referia-me apenas a um. Um texto, de autora desconhecida e cua construção também não me pareceu nada de especial, e que versava sobre a noite, ou um dos locais nocturnos, chamados discotecas. Esse texto, como todos os que falem desses antros, pareceu-me ridículo, como parecerá a quem seja como eu. De qualquer forma caras Edite, Mariana e Raquel, as ninfas que versam num baú, as minhas desculpas. Errei....mas não propositadamente. Agora que o texto era mau...isso era!
Em segundo lugar. Segundo o grande Duarte SD citei-o mal. No texto As Mansões, disse que Duarte SD me tinha alertado contra uma tal menina Coutinho da qual não gostava. Afinal Duarte não gosta dela, nem deixa de gostar. Simplesmente não a conhece. Na sua magnanimidade Duarte afirma que não pode deixar de gostar ou nao de alguem que lhe é um estranho. Genial como sempre. Também nós nao a conhecemos amigo. E quanto a me ter alertado eu acho que como um grande amigo que é, Duarte SD alertou, mas a sua humildade leva-me a desmentir o que disse. Duarte é grande em tudo.... até na sua brilhante prosa que iluminou hoje mais uma vez o nosso blog.

Um abraço amigos

MIGEUL LP


A época de platina

Costuma-se dizer que a época de 1986/87 do FC Porto, temporada na qual foi Campeão Europeu, é a sua época de ouro. Ora, se este ano o FC Porto entrou em três frentes (Superliga portuguesa, Taça de Portugal e Taça UEFA) e as ganhou todas, esta é a época de platina.

Que dizer desta época do FC Porto? Que consolidou a sua posição de uma das melhores equipas de todos os tempos no planeta inteiro? Que encheu de orgulho toda uma região, e fez engolir um enorme sapo a milhões de portugueses? Que o seu futebol, os seus jogadores, treinador e presidente fazem frente – agora – a qualquer equipa no mundo? Tudo isto foi, está a ser e ainda é dito.
Por isso, não são precisas palavras para comentar a época do FC Porto. Antes são precisos recordar certos momentos importantes, entre outros, que marcarão a letras douradas a história do nosso clube:
- A vitória em Viena na segunda eliminatória da Taça UEFA. Costuma-se dizer que nunca se deve regressar a um local onde já fomos felizes. Porém, os dragões negaram esta máxima ao vencerem por 1-0 o Áustria Viena.
- as duas vitórias contra o Benfica e os golos do mágico Deco.
- o jogo para a Taça de Portugal contra o Guimarães
- a reviravolta no Restelo
- o jogo perfeito em Atenas
- a histórica vitória contra a Lázio por 4-1
- os golos de Postiga
- as fintas de Alenitchev
- Jorge Costa, com olhos de menino, a erguer a Taça UEFA
- as Antas cheias de gente às 5 da manhã para prestarem tributo à equipa vinda de Sevilha
- e tantos outros momentos inesquecíveis…
Como sócio portista, deixo aqui o meu agradecimento profundo ao homem que tornou possível isto: Jorge Nuno Pinto da Costa. Obrigado presidente por ter feito do FC Porto a bandeira de uma grande região, e por a ter levado em triunfo a todos os cantos do mundo. Como nunca antes, agora somos verdadeiramente o símbolo de uma região. Viva o FC Porto!!! Viva a cidade do Porto!!! Vivam os portistas!!!
Agora, vamos fazer um breve comentário ao texto que o meu colega Miguel publicou, a 10 de Junho, no Ideias e Pensamento. Faço-o só hoje, pois é agora com o fim da época que se devem fazer os balanços.
Primeiro. Não percebo como tu não consegues gostar do José Mourinho. Embora nunca o tenha conhecido pessoalmente, e só o ver no Estádio das bancadas para o campo, o que é ainda uma distância (excepção feita a quando nós os dois e o Vtor o fomos ovacionar à saída do estádio na madrugada da conquista da Taça UEFA), aprendi muito com ele. Ele, embora não o saiba, ensinou-me a acreditar nas nossas capacidades. Ensinou-me a ter «vontade de poder». A sua postura é admirável. Nem sequer é a do arrogante, como dizem. É antes a de alguém que não precisa de ser hipocritamente humilde, pois tem confiança extrema em si, e sabe que é o melhor. Espero que fique muitos anos no FC Porto.
Segundo. Concordo absolutamente contigo em que os títulos passaram por muita gente: desde o presidente ao roupeiro. Além disso, Pinto da Costa e Mourinho só provaram que são as pessoas que mais percebem de futebol ao contratarem jogadores em que quase ninguém – confesso que tinha esperanças no Maniche devido aos jogos que ele fez no Benfica de Mourinho – acreditava, e hoje anda meia Europa atrás. No entanto, tu fazes relevo do Maniche como o melhor jogador do porto. Eu não faço distinções. Todos foram um bloco uniforme, que se tornou numa máquina de jogar excelente futebol. Aplausos iguais para todos.
Terceiro. Também concordo que o estádio não se deve chamar do Dragão. É um bocado piroso. Para mim, mesmo que o velhinho estádio vá ser destruído, aquela zona há-de ser sempre as Antas. E continuarei, para sempre, a dizer vamos às Antas. Não direi «vamos ao dragão» (credo). No entanto, se eu tivesse que baptizar o estádio, sem lhe poder pôr o nome Antas, o nome que eu escolheria seria Pinto da Costa. É, na minha opinião, o único que o merece, pois tanto fez pelo clube.
Quarto. Há jogadores do FCP que merecem, melhor, devem ir à Selecção: o Baía, o R. Carvalho, etc. Como te podes aperceber, eu e tu temos a mesma opinião sobre o senhor Scolari.
Quinto e último ponto. Para o ano como é. Começamos por ganhar as supertaças, e em seguida lançamo-nos na aventura da Liga dos Campeões? Acreditas na vitória na champions? Eu acredito. Para o ano a taça das orelhas compridas virá para as Antas. Tenho a confiança ao máximo. Bater-nos-emos contra qualquer equipa, seja o Madrid, a Juventus ou o Manchester, de igual para igual. Se ganharmos a UCL, nem me importo de perder o campeonato e a taça para outra equipa (excepção ao Benfica).

Um grande abraço
Duarte Sousadias

domingo, junho 15, 2003

olha la, k ideia é essa de dizeres k o michael foi brilhante???LOLOLOL eu acho que o ralph é mil vezes mais brilhante! (E giru!)lololol
bem, inda bem k decidiste abrir o livro!
ate manha almofada! as 3 no sitio do costume!;)
Gilly
O dia de hoje foi porreiro. Quase....... Em primeiro lugar o FC Porto fechou com chave de ouro uma temporada mágica. Eu como portista convicto, sócio 38599, fiquei feliz com as conquistas da minha equipa, mas acho que este é já um sentimento generalizado. Vencer campeonato, taça e taça UEFA de forma tão categórica como a que o Porto conseguiu esta temporada é obra. Obrigado pessoal das Antas, e aprenda senhor Rio.......
Ainda no campo desportivo não posso deixar de salientar o infeliz resultado em Vigo da Real Sociedade, que a juntar á chata vitória do Real Madrid no Vicente Calderon, acaba com o sonho do título em San Sebastian. Pena porque o País Basco (uma causa que defendo) merecia mais que ninguém.....
Antes de partir, nota para o GP do Canada. Michael Schumacher foi absolutamene brilhante. Lindo, lindo, lindo. Já somos líderes e agora é aumentar a vantagem para conseguir-mos o Hexa...É caso para dizer Schumy Uber Alles...

Ah, aparentemente no dia 24 de Junho, São João portanto, o Curso de Jornalismo vai reunir-se numa tarde animada. Haverá convívio e futebol claro...O blog O Por do Sol juntar-se-á a outros blogs, nomeadamente o Ideias e Pensamento e o Discursos-Paralelos para vos contar-mos como foi esse dia...até à próxima amigos..

Um abraço daqueles bem grandes

MIGUEL LP "chamavam-lhe o convencido"
Em primeiro tenho de pedir desculpa por não ter escrito nos últimos tempos. Isto porque estive a limpar a "baba" que me saía da boca depois de tantos elogios simpáticos ao meu humilde texto. Obrigado pessoal. Obrigado à Marian que teve a simpatia de escrever uma mensagem que me deixou muito feliz, mas um obrigado também à Edite e à Mariana, que me enviaram por msg os agradecimentos. Fiquei muito sensiblizado e vou abrir o livro... Eu sou assim mesmo. É verdade que só sou assim para mim próprio, que o Miguel LP que todos vocês conhecem é arrogante, ambicioso, convencido, narcisista, antipático, mas isso é só o meu personagem para a vida real. Na minha vida ideal eu sou mesmo assim. E não tenho vergonha de o dizer como também não o escondo. Aliás sou gémeos, o que quer dizer que há dois Migueis...o que voces conhecem e este. Particularmente, simpatizo com ambos...

Depois de me ter sido recomendado não pude deixar de visitar o blog Ninfas do Baú. É aparentemente um blog muito feminista (até tive medo que me descobrissem por lá) mas feito por pessoas muito simpáticas e divertidas. Claro que nem todas, pois tive lá a oportunidade de ver uns textos um bocado para o ridículo mas deixem lá. Nada é perfeito e mesmo alguns textos do vosso O Por do Sol podem não ser tão divertidos como normalmente são. Mas desde já recomendo uma passagem pelo blog e se desejarem colaborar acredito que as ninfas não se importunarão. Agora não sei se é preciso ser mulher.....

A seguir vou mudar de tema...não fujam!!!!!!

MIGUEL LP

sábado, junho 14, 2003

Almofada, depois de ler o k eskreveste nao posso deixar de te dizer uma coisa: Cada vez me surpreendes mais! Pela positiva! porque não te dás a conhecer como realmente es a toda a gente? (bem, ja falamos sobre isto, n já almofada?
tem um bom fim de semana e cuida-te...
ah... obrigada pela força hoje, por causa do mister indeciso! es um kidu! e, vim a descobrir com alguma surpresa e felicidade, amigo, também! Obrigada!
Mais uma coisa... não mudes nunca!

Caro Duarte. Venho hoje falar-te de uma coisa que me aconteceu à umas semanas e à qual nada liguei a principio. No final, acabei por descobrir que tudo o que me fora dito tinha razao de ser...

Foi à umas semanas, meu amigo, que fui à festa do nosso estimado André Viana, o mesmo que é um dos responsáveis pelos blog Discursos-Paralelos. Não tinha sido um dia muito feliz, muito por causa de uma certa donzela que me apoquentava o espiríto. No entanto tive uma tremenda felicidade porque na ordenação dos lugares, coube-me a mim MLP, ficar sentado ao lado de duas pessoas maravilhosas. Pessoas bonitas, simpáticas, divertidas, deslumbrantes e muito inteligentes. E são mulheres Duarte, não "putas" como tu tanto apregoas. Mulheres e das boas. Tu conhece-las bem. Falo das nossas queridas vilacondenses, da Edite e da Mariana.
Elas conseguiram, através daquelas artimanhas que só as mulheres parecem conhecer, por-me mais bem disposto comigo mesmo, se bem que aquela mulher continuava a não sair-me da cabeça. Eu sei, tu avisaste-me que ela não servia para mim. Mas tu também nunca gostaste dela (e ela também nunca foi muito com a tua cara) e não sabias o que era amar um anjo, caído das nuvens numa tarde quente de verão!
Ora voltemos ao tema pois lá ando eu de novo perdido num mundo que nunca teve lugar, em sonhos que nunca existião, numa mulher que ... O que eu te queria dizer é que nessa noite surgiu na conversa uma expressão que ao princípio, no meu estilo folião e desconcertante que me conheces, me pareceu ridícula. Nem liguei muito para te dizer a verdade. Só que, naquelas noites em que não conseguia dormir devido às lágrimas que me enchiam o rosto, dei de mim a voltar a essa expressão. "Mansão"! Conheces? Se calhar não. A criadora de tão interessante palavra foi a nossa boa Edite. Segundo ela, "mansão" seria aquela mulher/homem que nos é inacessível. Por várias razões, desde idade a beleza, passando mesmo pelo facto de ela poder não gostar de nós como nós gostamos dela. O termo foi usado para caracterizar a Paula, mas caro Duarte, acho que lhe consigui atribuir um sentido bem mais lato. Já reparas-te que todos nós, mesmo eu e tu, podemos ser "mansões". Todos nós podemos ter alguém no mundo que goste de nós mas a quem nós somos inacessiveis? É assustador não é Duarte. Só de pensar que faço uma mulher infeliz no Mundo neste momento fico logo com vontade de chorar. Mas isso é o meu eu-romantico que todos parecem nao gostar mas sem o qual nao vivo. Com esta descoberta a expressão ganhou significado novo para mim. Já viste como é. Passamos a nossa vida atrás de "mansões", de mulheres extremamente belas, atraentes, desejáveis, eu sei lá... mas no final nunca (ou quase nunca) acabamos com elas. Segundo a terminologia da Edite, acabamos com andares ou, se tivermos sorte, vivendas... E se calhar Duarte não é assim tão mau. Se calhar acabamos com essas vivendas ou andares porque é o que merecemos ou porque assim estava destinado. E perguntas-me agora tu," e as "mansões" acabam com quem?" Aí é que está amigo. Uma mulher que é "mansão" para ti e para mim, pode muito bem ser um prédio ou vivenda para outros. E assim é a vida. Feita de vivendas e mansões.... Até mesmo a Paula, que para mim era mais que uma "MANSÃO", era mais um Palácio Versailles, pode ser para tantos outros um prédio na Sé do Porto, ou um andar no bairro do Cerco. Depende. Para mim ela será, até ao fim da minha inóqua existência, o melhor que há. As lágrimas que eu chorei por ela (e ainda choro às vezes amigo) e que escorreram pela minha triste face, chegam para criar um 8º oceano, maior que o Pacífico, mais tumultuoso que o Atlântico, mais gélido que o Antártico.
Mas eu quero chegar a isto Duarte. Quero chegar a um ponto da maior importância e que vem por si só eliminar o teu longo comentário sobre as mulheres. Não há "putas", não há "princesas". Há vivendas e prédios. E só espero que eu na minha vivenda e tu na tua nos tornemos muito felizes. Porque merecemos. Merecemos mesmo....
Pensa nisto Duarte, pensa ....
Antes de me despedir apenas uma palavra de apreço. Um agradecimento especial a duas pessoas muito importantes. À inventora deste termo delicioso, a doce e irreverente Edite. À minha ex-noiva, pelo carinho que ela tem por mim (e por ti também SD) e por todos os seus amigos. É uma bela pessoa e uma pessoa deveras bela. Fica assim miúda... (e boa sorte para o Rio Ave). E também à Mariana. À Mariana tenho de pedir desculpa. Um dia chamei-lhe boneca de porcelana. Fui indelicado ao extremo e agora faço mea culpa. Nunca te poderia chamar boneca de porcelana porque as bonecas não têm sentimentos e tu tens, e muitos. Muitos e extremamente bonitos. Tão bonitos que assustam e alegram ao mesmo tempo. Tão bonitos que às vezes me dão vontade de tornar-me brasileiro (e quem me conhece sabe o que isso significa) e faze-la tao feliz como ela merece ser. Mas não o farei porque nunca o mereceria e assim deixo alegre milhões de "Irmãos brazucas" que assim poderão ter a sorte de acabar com esta preciosidade, num país onde se tornam cada vez mais raras. Bejinho grande Mariana e vemo-nos em Copacabana beach.....
Anyway, como diz o meu estimado amigo Leccio, o que importa é que é nestes momentos que se sentem os amigos. É graças a pessoas como tu Duarte, com quem troco estas ideias e pensamentos ao por do sol, ou a amigas como a Edite e a Mariana, que me alegraram num dia dificil, que dá gozo viver. E é para vós que vivo..... E vivo feliz...

Um abraço a todos

MIGUEL LP

sexta-feira, junho 13, 2003

Caros amigos do blog O Por do Sol e do blog Ideias e Pensamento. Depois de ter lido o artigo do Duarte SD (que comentarei no blog Ideias e Pensamento como combinamos entre nós que fariamos) e o belo texto da Gilly não posso deixar de dissertar um pouco sobre o tema.
É a eterna guerra entre cão e gato, entre homem e mulher. Não podem viver um sem o outro mas queixam-se de tudo e mais alguma coisa. O Duarte, no seu estilo à Alvaro de Campos (irreverente, mordaz) disse algumas coisas com sentido. Outras nem tanto. Foi violento para com essa preciosidade que é a mulher. Não concordo com ele nesse aspecto (como em muitos outros caro amigo). Dizes tu amigo que há as feias mas simpáticas e as boazonas mas estúpidas. Abre os olhos rapaz, abre os olhos. No mundo das mulheres, como em tudo na vida, há de tudo. Olha só para a tua turma. Tens lá mulheres lindas de morrer e simpáticas como tudo. Tens a Edite, a Mariana a Rita eu sei lá... Nao podes ser assim. Elas também são mulheres e merecem todo o nosso respeito. Claro que há outro tipo de mulheres. Bebés, birrentas, infantis, chama-lhe o que quiseres. Há as mulheres como a Paula, de quem tu tao pouco gostas e para ao qual me avisas-te mas eu, cego pela seta certeira de cupido, nao quis ouvir. Agora pago as consequencias, chorando pelo amor perdido que nunca existiu...
Depois usas o termo "puta". Ó Duarte por amor de Deus. Putas sao as mulheres da rua (que tu elogias nao sei porquê) nao as tuas colegas, aquelas mulheres que passeiam pela rua. Claro que todos temos um pouco de "putas". Todos somos "lixados" às vezes mas nao se pode disparar assim para o ar. Pode ser que te caía um anjo nos braços para acordares. E quanto aos azares no amor Duarte, olha para este teu amigo. Olha para este rapaz que viste chorar, que viste sofrer, tudo por uma mulher que eu achei que era Afrodite, Artemisa, Psique, eu sei lá, mas que se revelou ser completamente diferente. Não melhor, não pior, apenas diferente. Todos tivemos e vamos ter desilusoes no amor. Tu, apesar de seres tu como eu sou eu, nao fugiste nem fugirás à regra. Porque é assim o mundo. O mundo dos amantes... O teu amor pela tua mae e pela tua avó, que nao tive a honra de conhecer, é tao belo e profundo que me escuso a comentar. Mas pensa meu amigo, que mulheres sao muitas, putas sao poucas. Muda a tua maneira de ser um bocado como eu tenho de fazer. Só assim nos encontraremos no altar, lado a lado com aquelas com quem iremos passar o resto dos nossos dias, filosofando felizes.... Força amigo Duarte...
Quanto a ti minha cara Gilly! Bela e sedutora Gilly como sempre nao podias deixar de defender as mulheres. Fazes bem porque também o faço. Tu e o Duarte ainda vao dar mt vida a este blog.... Os Homens sao piores que as mulheres. Eu sou um deles por isso sei-o. Somos mais anjinhos, nao resistimos a umas pernas ou seios, mas conseguimos ser bem piores. Mas há homens e homens. E para ti digo o que digo ao Duarte. Infelicidades sao para todos. E já sabes que concordo contigo em muitas coisas. Mas que vais ser feliz, isso é tao certo como o sol nascer amanha...
Força amigos.....que a vida precisa de nos :-)

MLP

ADOREI... ISTO É LINDO. Interactividade entre os amigos num blog simpático e divertido. Porreiro à força toda. Espero que seja o início de uma grande curtição aqui no O Por do Sol. Bem, depois dos profundos textos do Duarte SD e a resposta da Marian, vou ter de publicar as respectivas respostas. E hoje não nos esquecemos de um grande nome: Gregory Peck, que infelizmente faleceu ontem. E no blog Ideias e Pensamentos é dia de Fernando Pessoa. Acho que vou por lá dar uma passada e dar a conhecer ao mundo melhor o nosso maior poeta....

Um abraço

MLP
ups...enganei-me almofada! desculpa!!!!! nao fiques bem!lol
Hoje é dia de Santo António. Mas a nossa verdadeira comemoração deve ser a dos 115 anos do nascimento de Fernando Pessoa.
O Ideias e Pensamento é hoje, exclusivamente, dedicado a este grande poeta...

quinta-feira, junho 12, 2003

(continuação)De resto, não tenho muito mais a dizer, a não ser que tu, Duarte, devias ser um pouco mais aberto às possibilidades que o mundo te dá. Não é dizendo a uma mulher "gosta de mim mas eu n gosto de ti" que a vais conseguir, ou muito menos atingir a felicidade!
Já sofri muito por causa de amores infundados, casos banais e relações que não deram certo! Mais, sofri por um grande amor que sempre fez de conta que não sabia o quanto gostava dele! mas n foi por isso que deixei de acreditar na força do amor e na confiança que deposito nas pessoas! tanto que agora encontrei o meu principe!
So mais uma coisa antes de me despedir! não escrevi aqui nada de filosófico nem coisa que se pareça! Só mostrei o que aprendi com a minha curta experiência de vida! Não me preocupei em ter um texto bonito e bem pontuado, nem sequer o reli. Siimplesmente vim deixar a minha ideia... de que o mundo não é como o pintam.... aliás... cabe-nos a nós pintar o mundo da nossa cor preferida!

Fica bem almofada! Gosto muito de ti, não te esqueças!
Gilly

Por falar em homens!

Talvez não devesse entrar por este campo, que me parece tão masculino, talvez até nem devesse entrar por campo nenhum... Mas já que me pediste para te escrever aqui, acho que tenho de fazer jus à minha veia jornalística e dar-te a conhecer alguns dos meu pontos de vista que tu tão bem já conheces...(acho eu...)
Há coisas e coisas na nossa vida. Uma delas é o amor... Não sou a pessoa indicada para falar dele porque ele passou a vida toda a fugir de mim... até agora... em finalmente fiz as pazes com ele. No entanto, ao ler algumas das afirmações proferidas aqui pelo nosso amigo Duarte não posso deixar de me exaltar...
Dizer que somos um bicho estranho... sim... até podemos ser, e é com muito orgulho que o somos... agora, Duarte, que visão mais minimalista de ver a relação a dois. Podes crer que as mulheres também consideram o homem um animal "especial" e tão "especial" que ás vezes é bem difícil lidar convosco. Não somos nós que fodemos com um gajo e que nos pomos a milhas antes que ele engravide, não somos nós que batemos o couro a um gajo sem gostarmos dele, não somos nós que andamos por aí a beber cervejas atrás de cervejas e a gritar a quem nos quiser ouvir que o fizemos... Não somos nós que namoramos com um gajo e o deixamos só porque não deu uma boa queca!!!! Pr muitos defeitos que encontres nas mulheres, nós temos sentimentos e muitas vezes vivemos as coisas de uma forma tão plena e tão bonita que nem vos passa pela cabeça! Claro que, como tu dizes, há excepções! E eu não sou tão radical como tu! Eu gosto dos homens, e acredito neles... Disse uma vez a uma pessoa que posso desistir de muita coisa, menos das pessoas... e como vocês são pessoas, pelo que consta...
É por isso que digo que o amor existe, porque nunca desisti de amar ninguém... tenho dentro de mim a força que me permite olhar a vida de frente e levar as pessoas comigo! Não sou fundamentalista, sou apenas mulher. Ainda mais! Digo-te do fundo do coração: acredito que haja uma alma perdida no mundo que seja a minha "anima". Que seja aquela com quem eu estou destinada a ficar para sempre... pode acontecer encontrá-la ou passar a minha vida toda á procura dela... ou até pode acontecer já a ter encontrado... mas sei que ela existe, porque a sinto dentro de mim...
Se vocês, homens deste blog gostassem de ler livros "light", como lhes chamam, dizia-vos para lerem dois livros. "Brida" e "Onze Minutos", de Paulo Coelho. Ia fazer-vos muito bem!
De rest
Por falar em mulheres…

Mulheres. O sexo oposto. O feminino… Eis muitos nomes que as tentam definir. Tentam, perguntas-me tu. Sim! Não nos podemos esquecer da máxima do Herman José: a mulher é um bicho estranho.
Mas há mulheres e mulheres. Há as feias mas simpáticas. Há as boazonas mas estúpidas. Há as ingénuas que se podem revelar perigosas. No entanto, não há pior mulher do que a puta. Atenção, não me refiro às mulheres da vida, que, quase sempre, devido a uma vida menos feliz, são obrigadas a se vender para se sustentar. Por muitas dessas, tenho um imenso respeito. Até as gostava de ajudar, se me fosse possível (atenção ao duplo sentido menino). Refiro-me àquele tipo de mulher, com o qual já tive o azar de me cruzar na minha vida, que debaixo de uns olhos meigos, de um sorriso singelo e de um abraço um pouco apertado se acabam por revelar verdadeiras interesseiras, sem sentimentos. Elas acabam sempre por nos magoar. E ainda se ficam a rir… Tenho ódio a essas mulheres – não, não as posso chamar assim – a esses vermes que só merecem ser esmagados debaixo de uma pesada sola de sapato, ou apedrejadas como se fazia na Idade Média. Devido a já ter tido contacto com algumas mulheres desta espécie, procuro hoje defender-me ao máximo. Assim, passo para o exterior uma imagem de «fodilhão», de cavalo lusitano, etc. É da maneira que não sou mais incomodado… e que não passo por desilusões.
Agora, que há mulheres especiais, isso há. Eu amo duas mulheres, e digo isso alto! Elas merecem anúncio do meu amor. São elas a minha mãe, e uma avó que já me faleceu. Foram elas que, em grande parte, me educaram. Foram elas que me viram crescer. É a elas que me devo, se assim posso dizer.
Minha avó faleceu há cinco anos. Mas ela continua viva em mim, e todos os dias penso nela. A minha mãe está sempre aí. É a ela que recorro quando estou chateado. É ela que sabe lidar comigo…Bem, estou a entrar num campo demasiado íntimo, só meu. Vou ficar por aqui neste assunto.
Ora, regressando à nossa polémica, tenho ainda umas coisas a dizer. A primeira é que eu não acredito que haja a mulher da nossa vida (agora já me refiro à extra-família), tal como mostra o João da Ega ao Carlos n’ Os Maias: [um homem e uma mulher] estão ambos insensivelmente, irresistivelmente, fatalmente, marchando um para o outro! Acho esta ideia uma patetice. Tudo, na minha opinião, é um caos que está certo. Por isso, se vimos do caos, uma mulher não me vai chegar, um dia, e ser minha irresistivelmente. Antes me cairá aos trambolhões, quem sabe? Segundo, um homem, por mais que ame uma mulher, não a aguenta toda a vida. Por isso, já estou como a preta do It’s a wonderfoul life! que no fim do filme diz ao George Bailey que tinha poupado até agora dinheiro para o divórcio… caso um dia se casasse. É o que eu já estou a fazer.
Concluindo. Gosto muito de mulheres, não de putas. Além disso, prezo muito a minha liberdade. Por isso, não me consigo ver casado para toda a vida. Tenho mais que fazer do que ser preso. Mulheres, venham a mim. Mas não peçam mais nada. Vocês têm que gostar de mim. Eu cá, não preciso de gostar de vocês…
Atenção! Este gostar é no sentido de amar. É claro que há mulheres de quem gosto muito e das quais considero um privilégio ser amigo. Há, na nossa faculdade, uma rapariga que eu admiro muito – e ela sabe que a admiro – e pela qual tenho nobres sentimentos de amizade. Ela é especial. Não sabes a quem me estou a referir? É fácil adivinhar. Tão fácil que não te dou pistas.

Um grande abraço
Duarte Sousa Dias
É esta a minha posição em relação às mulheres, meu caro Miguel. Mas se queres uma opinião parecida com a tua, pede-a ao JF Alves. Ele é que é poeta. Não eu.

terça-feira, junho 10, 2003

Começou finalmente a colaboraçao entre o POR DO SOL e o IDEIAS E PENSAMENTOS. A partir de hoje textos meus estarão disponiveis no blog do grande Duarte Sousa Dias, e esperamos a qualquer momento contar com a sua magnifica prosa no POR DO SOL. Até lá teremos de nos deliciar com a poesia de Joao Firmino e os textos de SD no IDEIAS E PENSAMENTOS.

MIGUEL LP

segunda-feira, junho 09, 2003

Obrigado Duarte
No seu blog Ideais-Pensamentos Duarte Sousa Dias, um dos maiores pensadores da nova geraçao, colocu um post elogioso ao nosso blog. Nao posso deixar de expressar os meus sinceros agradecimentos. Reitero já a vontade que há entre os nossos blogs para uma cooperaçao maior. E esperamos que o Discursos-Paralelos a nós se juntem. Duarte SD, homem, filósofo, poeta, pensador, é a inspiraçao para muita gente. Para ele um sincero e grande abraço.

nao esquecer
Ideias e Pensamentos já disponivel para todos voces!
Hoje tive o prazer de assistir ao debate na Casa dos Comuns britânica acerca da entrada da Inglaterra na zona Euro. o debate explicou bem porque é que a Inglaterra vai ficar nos próximos tempos fora do euro. E eu acho bem. Porque como disse Charles de Gaulle, a Inglaterra é uma lança dos EUA no coraçao da Europa. E todos sabem que eu sou anti-americano e pró-França e Alemanha. A França no seu aspecto cultural e a Alemanha no aspecto da dinamica de trabalho. Só assim a Europa recuperará os seus dias de glória!!!!!!!!

PS: No blog discursos-paralelos, já está disponível a fotografia do arquitecto deste blog acompanhado dos grandes Ivo Adao e do Ricardo Bastos. A ver....
Quando for criado o foto blog deste O Por Do Sol, esperamos poder retribuir a simpatia. Gracias amigos
Depois da triste exibição de Portugal em Braga contra o Paraguai, amanha, dia Nacional, teremos o jogo contra a Bolivia. Ao seu jeito infeliz Scolari já disse que a Bolivia vai ser uma equipa dificil, mesmo que o seu melhor jogador seja o Ronaldo Garcia. Se a Bolivia é dificil iamginem o Euro2004 contra os grandes. A selecção não vai poder contar com as estrelas Luis Figo, Rui Costa, Deco e ainda Fernando Meira. Vamos ver quem joga. Desde que não seja o Luis Loureiro...Continuamos a pedir com o resto do país, a convocatória de Ricardo Carvalho, um dos melhores centrais do Mundo, e de Vitor Baía, simply the best... Mas Scolari é burro que nem uma porta...

Tive o prazer de ler o livro de Deco "O Preço da Glória". Recomendo vivamente porque é um livro que explica bem a carreira de um dos melhores jogadores dos nossos dias e também explica bem como chega um brasileiro ao nosso país e se entrosa no futebol nacional. Um bom divertimento para relaxar dos exames


sexta-feira, junho 06, 2003

Inspirado nos talentosos weblogs que são os Discursos-Paralelos e o Ideias-pensamento, aqui nasce um novo weblog aberto à discussão generalizada. Espero ser acompanhado neste longo Verão por ideias novas e frescas trazidas por pessoas que gostem e queiram discutir o Mundo. Lanço desde já um apelo sentido: apareçam, para podermos fazer do blog O Por do Sol, um dos mais apetecíveis da net. Desde já um grande abraço e até à próxima amigos...

MIGUEL LP

PS: Hoje faço anos. São 19 já. Isto não é para ser um blog pessoal mas não resisiti em divulgar a informação. Acho que não traz mal ao Mundo. Por isso hoje é até às tantas...

This page is powered by Blogger. Isn't yours?